Carregando Idioma...

Guerra Fria e descolonização Afro-asiática no ENEM

O que mais cai no ENEM? Listas de exercícios do ENEM com gabarito? Guerra Fria e descolonização Afro-asiática no ENEM.

Guerra Fria e descolonização Afro-asiática no ENEM

 

1. (Enem 2019)  A Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada e proclamada pela Assembleia Geral da ONU na Resolução 217-A, de 10 de dezembro de 1948, foi um acontecimento histórico de grande relevância. Ao afirmar, pela primeira vez em escala planetária, o papel dos direitos humanos na convivência coletiva, pode ser considerada um evento inaugural de uma nova concepção de vida internacional.

 

LAFER, C. Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948). In: MAGNOLI, D. (Org.) História da paz. São Paulo: Contexto, 2008.

 

 

A declaração citada no texto introduziu uma nova concepção nas relações internacionais ao possibilitar a

a) superação da soberania estatal.    

b) defesa dos grupos vulneráveis.    

c) redução da truculência belicista.   

d) impunidade dos atos criminosos.    

e) inibição dos choques civilizacionais.    

 

2. (Enem 2018)  Os soviéticos tinham chegado a Cuba muito cedo na década de 1960, esgueirando-se pela fresta aberta pela imediata hostilidade norte-americana em relação ao processo social revolucionário. Durante três décadas os soviéticos mantiveram sua presença em Cuba com bases e ajuda militar, mas, sobretudo, com todo o apoio econômico que, como saberíamos anos mais tarde, mantinha o país à tona, embora nos deixasse em dívida com os irmãos soviéticos – e depois com seus herdeiros russos – por cifras que chegavam a US$ 32 bilhões. Ou seja, o que era oferecido em nome da solidariedade socialista tinha um preço definido.

 

PADURA, L. Cuba e os russos. Folha de São Paulo, 19 jul 2014 (adaptado).

 

 

O texto indica que durante a Guerra Fria as relações internas em um mesmo bloco foram marcadas pelo(a)

a) busca da neutralidade política.   

b) estímulo à competição comercial.    

c) subordinação à potência hegemônica.    

d) elasticidade das fronteiras geográficas.   

e) compartilhamento de pesquisas científicas.    

 

3. (Enem 2015)  Voz do sangue

 

Palpitam-me

os sons do batuque

e os ritmos melancólicos do blue.

 

Ó negro esfarrapado

do Harlem

ó dançarino de Chicago

ó negro servidor do South

 

Ó negro da África

negros de todo o mundo

 

Eu junto

ao vosso magnífico canto

a minha pobre voz

os meus humildes ritmos.

 

Eu vos acompanho

pelas emaranhadas áfricas

do nosso Rumo.

 

Eu vos sinto

negros de todo o mundo

eu vivo a nossa história

meus irmãos.

 

Disponível em: www.agostinhoneto.org. Acesso em: 30 jun. 2015.

 

 

Nesse poema, o líder angolano Agostinho Neto, na década de 1940, evoca o pan-africanismo com o objetivo de

a) incitar a luta por políticas de ações afirmativas na América e na África.   

b) reconhecer as desigualdades sociais entre os negros de Angola e dos Estados Unidos.   

c) descrever o quadro de pobreza após os processos de independência no continente africano.   

d) solicitar o engajamento dos negros estadunidenses na luta armada pela independência em Angola.   

e) conclamar as populações negras de diferentes países a apoiar as lutas por igualdade e independência.   

 

4. (Enem 2002)  1 - "(...) O recurso ao terror por parte de quem já detém o poder dentro do Estado não pode ser arrolado entre as formas de terrorismo político, porque este se qualifica, ao contrário, como o instrumento ao qual recorrem determinados grupos para derrubar um governo acusado de manter-se por meio do terror".

2 - Em outros casos "os terroristas combatem contra um Estado de que não fazem parte e não contra um governo (o que faz com que sua ação seja conotada como uma forma de guerra), mesmo quando por sua vez não representam um outro Estado. Sua ação aparece então como irregular, no sentido de que não podem organizar um exército e não conhecem limites territoriais, já que não provêm de um Estado".

 

            (Dicionário de Política (org.) BOBBIO, N., MATTEUCCI, N. e PASQUINO, G., Brasília: Edunb,1986.)

 

De acordo com as duas afirmações, é possível comparar e distinguir os seguintes eventos históricos:

 

I. Os movimentos guerrilheiros e de libertação nacional realizados em alguns países da África e do sudeste asiático entre as décadas de 1950 e 70 são exemplos do primeiro caso.

II. Os ataques ocorridos na década de 1990, como às embaixadas de Israel, em Buenos Aires, dos EUA, no Quênia e Tanzânia, e ao World Trade Center em 2001, são exemplos do segundo caso.

III. Os movimentos de libertação nacional dos anos 50 a 70 na África e sudeste asiático, e o terrorismo dos anos 90 e 2001 foram ações contra um inimigo invasor e opressor, e são exemplos do primeiro caso.

 

É correto o que se afirma apenas em

a) I.   

b) II.   

c) I e II.   

d) I e III.   

e) II e III.   

 

5. (Enem 1999)  Em dezembro de 1998, um dos assuntos mais veiculados nos jornais era o que tratava da moeda única europeia. Leia a notícia destacada a seguir.

 

O nascimento do Euro, a moeda única a ser adotada por onze países europeus a partir de 1 de janeiro, é possivelmente a mais importante realização deste continente nos últimos dez anos que assistiu à derrubada do Muro de Berlim, à reunificação das Alemanha, à libertação dos países da Cortina de Ferro e ao fim da União Soviética. Enquanto todos esses eventos têm a ver com a desmontagem de estruturas do passado, o Euro é uma ousada aposta no futuro e uma prova da vitalidade da sociedade europeia. A "Euroland", região abrangida por Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal, tem um PIB (Produto Interno Bruto) equivalente a quase 80% do americano, 289 milhões de consumidores e responde por cerca de 20% do comércio internacional. Com este cacife, o Euro vai disputar com o dólar a condição de moeda hegemônica.

            (Gazeta Mercantil, 30/12/1998)

 

A matéria refere-se 'a " desmontagem das estruturas do passado"  que pode ser entendida como

a) o fim da Guerra Fria, período de inquietação mundial que dividiu o mundo em dois blocos ideológicos opostos.   

b) a inserção de alguns países do Leste Europeu em organismos supranacionais, com o intuito de exercer o controle ideológico no mundo.   

c) a crise do capitalismo, do liberalismo e da democracia levando à polarização ideológica da antiga URSS.   

d) a confrontação dos modelos socialistas e capitalista para deter o processo de unificação das duas Alemanhas.   

e) a prosperidade as economias capitalistas e socialistas, com o consequente fim da Guerra Fria entre EUA e a URSS.   

 

6. (Enem 1999)  Os 45 anos que vão do lançamento das bombas atômicas até o fim da União Soviética, não foram um período homogêneo único na história do mundo. (...) dividem-se em duas metades, tendo como divisor de águas o início da década de 70. Apesar disso, a história deste período foi reunida sob um padrão único pela situação internacional peculiar que o dominou até a queda da URSS.

 

            (HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos. São Paulo: Cia das Letras, 1996)

 

O período citado no texto e conhecido por " Guerra Fria" pode ser definido como aquele momento histórico em que houve

a) corrida armamentista entre as potências imperialistas europeias ocasionando a Primeira Guerra Mundial.   

b) domínio dos países socialistas do sul do globo pelos países capitalistas do Norte.   

c) choque ideológico entre a Alemanha Nazista/União Soviética Stalinista, durante os anos 30.   

d) disputa pela supremacia da economia mundial entre o Ocidente e as potências orientais, como a China e Japão.   

e) constante confronto das duas superpotências que emergiam da Segunda Guerra Mundial.   

 

Gabarito:  

 

Resposta da questão 1:
 [B]

 

 

Resposta da questão 2:
 [C]

 

Resposta da questão 3:
 [E]

 

Resposta da questão 4:
 [C]

 

Resposta da questão 5:
 [A]

 

 

Resposta da questão 6:
 [E]