Carregando Idioma...

Questões sobre iluminismo

O pensamento citado no comando da questão pertence ao Iluminismo, filosofia na qual racionalismo, liberalismo, naturalismo e igualdade civil eram exaltados e defendidos, em oposição clara ao Antigo Regime.

Questões sobre iluminismo

1. (Enem 2017)  Fala-se muito nos dias de hoje em direitos do homem. Pois bem: foi no século XVIII — em 1789, precisamente — que uma Assembleia Constituinte produziu e proclamou em Paris a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Essa Declaração se impôs como necessária para um grupo de revolucionários, por ter sido preparada por uma mudança no plano das ideias e das mentalidades: o iluminismo.

 

FORTES, L. R. S. O Iluminismo e os reis filósofos. São Paulo: Brasiliense, 1981 (adaptado).

 

 

Correlacionando temporalidades históricas, o texto apresenta uma concepção de pensamento que tem como uma de suas bases a

a) modernização da educação escolar.    

b) atualização da disciplina moral cristã.   

c) divulgação de costumes aristocráticos.   

d) socialização do conhecimento científico.    

e) universalização do princípio da igualdade civil.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]

O pensamento citado no comando da questão pertence ao Iluminismo, filosofia na qual racionalismo, liberalismo, naturalismo e igualdade civil eram exaltados e defendidos, em oposição clara ao Antigo Regime.

 

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Sociologia]

Podemos dividir os direitos de cidadania em três tipos: civis, políticos e sociais. No contexto europeu, podemos dizer que os primeiros a serem universalizados foram os civis, e isso se iniciou justamente no período histórico que o texto da questão analisa. Assim, os legisladores da época se preocupavam com a questão da propriedade, da liberdade e da igualdade, mas ainda não com o sufrágio universal (direitos políticos) nem com a universalização do ensino (direitos sociais).

 

 

 

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:

“O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais não deixa de ser mais escravo do que eles. (...) A ordem social, porém, é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. (...) Haverá sempre uma grande diferença entre subjugar uma multidão e reger uma sociedade. Sejam homens isolados, quantos possam ser submetidos sucessivamente a um só, e não verei nisso senão um senhor e escravos, de modo algum considerando-os um povo e seu chefe. Trata-se, caso se queira, de uma agregação, mas não de uma associação; nela não existe bem público, nem corpo político.”

 

(Jean-Jacques Rousseau, Do Contrato Social. [1762]. São Paulo: Ed. Abril, 1973, p. 28,36.)

 

 

2. (Unicamp 2012)  No trecho apresentado, o autor

a) argumenta que um corpo político existe quando os homens encontram-se associados em estado de igualdade política.   

b) reconhece os direitos sagrados como base para os direitos políticos e sociais.   

c) defende a necessidade de os homens se unirem em agregações, em busca de seus direitos políticos.   

d) denuncia a prática da escravidão nas Américas, que obrigava multidões de homens a se submeterem a um único senhor.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

Resposta de Filosofia:

Rousseau enxerga no contrato social o estabelecimento e a garantia da liberdade civil. Nesse sentido, ele rejeita tanto um governo que subjugue os homens, quanto as agregações que se originam dessa subjugação por não constituírem-se como corpo político. Deve-se considerar que os direitos políticos e sociais, para Rousseau, não são baseados em direitos sagrados, sendo, na verdade, a ordem social a base de todos os direitos.

 

Resposta de História:

Rousseau foi um dos principais expoentes do iluminismo. Ao discutir a situação do homem, preocupa-se com as condições políticas da época e defende o direito da sociedade na escolha de seus governantes.

 

 

 

 

3. (Unicamp 2012)  Sobre Do Contrato Social, publicado em 1762, e seu autor, é correto afirmar que:

a) Rousseau, um dos grandes autores do Iluminismo, defende a necessidade de o Estado francês substituir os impostos por contratos comerciais com os cidadãos.   

b) A obra inspirou os ideais da Revolução Francesa, ao explicar o nascimento da sociedade pelo contrato social e pregar a soberania do povo.   

c) Rousseau defendia a necessidade de o homem voltar a seu estado natural, para assim garantir a sobrevivência da sociedade.   

d) O livro, inspirado pelos acontecimentos da Independência Americana, chegou a ser proibido e queimado em solo francês.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

Rousseau, um dos teóricos mais importantes do Iluminismo, apresenta uma teoria baseada no contrato social entre os homens e na igualdade natural entre todos eles. Seu pensamento apresenta uma crítica ao Antigo Regime, inspirando ideais que culminaram na Revolução Francesa.

 

 

 

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:

O texto abaixo, de John Locke(1632-1704), revela algumas características uma determinada corrente de pensamento.

 

"Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme dissemos, se é senhor absoluto da sua própria pessoa e posses, igual ao maior e a ninguém sujeito, por que abrirá ele mão dessa liberdade, por que abandonará o seu império e sujeitar-se ao domínio e controle de qualquer outro poder?

Ao que é óbvio responder que, embora no estado natureza tenha tal direito, a utilização do mesmo é muito incerta e está constantemente exposto à invasão terceiros porque, sendo todos senhores tanto quanto ele, todo homem igual a ele e, na maior parte, pouco observadores da equidade e da justiça, o proveito da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e muito arriscado. Estas circunstâncias obrigam-no abandonar uma condição que, embora livre, está cheia de temores e perigos constantes; e não é sem razão que procura de boa vontade juntar-se em sociedade com outros estão já unidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, da liberdade e dos bens a que chamo de propriedade."

(Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991

 

 

4. (Enem 2000)  Do ponto de vista político, podemos considerar o texto como uma tentativa justificar:

a) a existência do governo como um poder oriundo da natureza.   

b) a origem do governo como uma propriedade do rei.   

c) o absolutismo monárquico como uma imposição da natureza humana.   

d) a origem do governo como uma proteção à vida, aos bens e aos direitos.   

e) o poder dos governantes, colocando a liberdade individual acima da propriedade.   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

John Locke pode ser considerado como precursor do ideário iluminista. Um dos pontos fundamentais de sua filosofia considera que a origem do governo significa uma superação do estado de natureza, por meio do estabelecimento de um “contrato” entre governantes e governados, cujos direitos naturais (vida, bens e direitos) são assim preservados.

 

 

 

 

5. (Enem 2000)  Analisando o texto, podemos concluir que se trata de um pensamento:

a) do liberalismo.   

b) do socialismo utópico.   

c) do absolutismo monárquico.   

d) do socialismo científico.   

e) do anarquismo.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

As ideias iluministas constituem a base para a moderna doutrina liberal, que ficou melhor definida no século XIX. O liberalismo reflete os valores da burguesia, então em ascensão em diversas nações, e propunha a ampla liberdade individual, tanto de consciência, como de ação política e econômica.  

 

 

 

 

6. (Fuvest 2021)  De acordo com o historiador Nicolau Sevcenko, é possível identificar um “confronto entre o impulso libertador, presente nos anseios de mudança social, e o caráter autoritário, elitista do planejamento reformador” em muitas obras produzidas por escritores identificados com o pensamento Iluminista.

“Apresentação”. Restif de La Bretonne. Noites revolucionárias. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

 

 

a) Cite um pensador identificado com o Iluminismo.

b) Identifique dois elementos do Iluminismo que contribuíram para a crítica do Antigo Regime.

c) Indique uma medida marcada pelo “impulso libertador” e outra pelo “planejamento reformador” adotada durante a Convenção Nacional ou sob o Diretório.

 

 

Resposta:

 

a) Locke, Montesquieu, Voltaire, Rousseau, etc.

 

b) O liberalismo econômico de Adam Smith que criticou o mercantilismo e defendeu  o livre mercado e o liberalismo político de Montesquieu que criticou a centralização do poder do absolutismo e defendeu a divisão do poder em três partes.

 

c) Durante a Convenção Nacional, 1793-1795: abolição da escravidão nas colônias da França refletindo no Haiti e medidas sociais importantes como novo calendário, novo sistemas de pesos e medidas, etc.

 

 

 

 

7. (Uerj 2019)  Tudo que está escrito nas Sagradas Escrituras é verdade? De fato, cada uma das religiões diz: “Minha fé é a certa, e aqueles que creem em outra fé creem na falsidade e são inimigos de Deus”. Assim como minha fé me parece verdadeira, outro considera verdadeira sua própria fé; mas a verdade é uma só.

 

Marido e mulher estão em pé de igualdade no casamento.

 

Não podemos sair e comprar um homem como se fosse um animal.

 

Todos os homens são iguais na presença de Deus; e todos são inteligentes, pois são suas criaturas; ele não destinou um povo à vida, outro à morte, um à misericórdia e outro ao julgamento. Nossa razão nos ensina que esse tipo de discriminação não pode existir.

 

Adaptado de HERBJORNSRUD, Dag. “Os africanos que propuseram ideias iluministas antes de Locke e Kant”. Folha de S. Paulo, 24/12/2017.

 

 

As proposições acima foram escritas por Zera Yacob (1599-1692), pensador etíope que desenvolveu suas ideias antes de europeus associados ao Iluminismo.

 

Identifique dois ideais das proposições do pensador africano presentes, também, no pensamento iluminista.

 

Em seguida, ainda com base nas citações, apresente um aspecto que diferencia Yacob da maior parte dos pensadores iluministas europeus.

 

 

Resposta:

 

Dois dos ideais:

- primazia da razão

- defesa do secularismo

- condenação da escravidão

- reprovação da discriminação

- defesa do princípio da igualdade

 

Aspecto: igualdade entre homens e mulheres no casamento.

 

 

 

 

8. (Enem 2019)  TEXTO I

A centralização econômica, o protecionismo e a expansão ultramarina engrandeceram o Estado, embora beneficiassem a burguesia incipiente.

ANDERSON, P. In: DEYON, P. O mercantilismo. Lisboa: Gradiva, 1989 (adaptado).

 

 

TEXTO II

As interferências da legislação e das práticas exclusivistas restringem a operação benéfica da lei natural na esfera das relações econômicas.

SMITH, A. A riqueza das Nações. São Paulo: Abril Cultural, 1983 (adaptado).

 

 

Entre os séculos XVI e XIX, diferentes concepções sobre as relações entre Estado e economia foram formuladas. Tais concepções, associadas a cada um dos textos, confrontam-se, respectivamente, na oposição entre as práticas de

a) valorização do pacto colonial — combate à livre-iniciativa.    

b) defesa dos monopólios régios — apoio à livre concorrência.    

c) formação do sistema metropolitano — crítica à livre navegação.    

d) abandono da acumulação metalista — estímulo ao livre-comércio.    

e) eliminação das tarifas alfandegárias — incentivo ao livre-cambismo.    

 

 

Resposta:

 

[B]

 

Identificamos no [texto I] características do Mercantilismo, que visava defender a intervenção estatal na economia, e no [texto II] características do Liberalismo Econômico, que visava a livre concorrência através da Lei da Oferta e da Procura.

 

 

 

 

Integrante da poderosa família dos Habsburgos, José II foi coroado imperador da Áustria em 1765, um dos mais vigorosos centros da cultura europeia no século XVIII.

 

a) A partir de elementos representados na pintura, aponte e explique duas características das sociedades europeias no período.

b) Explique por que José II é considerado um déspota esclarecido.

 

 

Resposta:

 

a) A Europa do Antigo Regime, retratada no quadro, tinha como elementos representativos o Absolutismo Monárquico e a estrutura hierarquizada da sociedade, com clero e nobreza sendo privilegiados.

b) Porque ele foi um dos monarcas que buscou conciliar Absolutismo e Iluminismo. Apesar da concentração de poder em suas mãos, buscou adotar medidas de caráter progressista, como a abolição da servidão.

10. (Unicamp 2018) 

A ilustração anterior, com Marie Lavoisier representada à direita, foi produzida nas últimas décadas do século XVIII, e mostra uma experiência para entender a fisiologia da respiração e o papel do oxigênio nela. Considerando o contexto histórico e o seu conhecimento de química, assinale a alternativa correta.

a) No século XVIII, Marie Lavoisier, como outras mulheres, não participava da produção do conhecimento científico. Por outro lado, seu marido, Antoine Lavoisier, ficou famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação da quantidade de matéria.    

b) A Revolução Francesa favoreceu cientistas e intelectuais franceses independentemente de suas posições ideológicas e das questões de gênero. É o caso de Marie Lavoisier e de Antoine Lavoisier, este último famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação das massas.    

c) No século XVIII, as mulheres participavam da produção do conhecimento científico. Marie Lavoisier registrou e publicou muitos dos experimentos feitos pela equipe de seu marido, Antoine Lavoisier, famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação das massas.   

d) A Revolução Francesa garantiu às mulheres a cidadania e a participação na produção do conhecimento científico. Marie Lavoisier registrou e publicou muitos dos experimentos feitos pela equipe de seu marido, Antoine Lavoisier, famoso pela frase “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, conhecida como a lei de conservação da quantidade de matéria.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

Antoine Lavoisier é considerado o pai da Química moderna. Coube a ele, dentre outros feitos, a descoberta e a nomeação do Oxigênio como elemento químico. Boa parte dos seus estudos e experiências foram feitos com o auxílio de sua esposa, Marie. Isso se deveu ao crescimento da participação das mulheres nas sociedades europeias a partir do século XVIII.

 

 

 

 

11. (Fuvest 2018)  Tanto no desenvolvimento político como no científico, o sentimento de funcionamento defeituoso, que pode levar à crise, é um pré-requisito para a revolução.

T. S. Kuhn. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1989.

 

 

Analise as quatro afirmações seguintes, acerca das revoluções políticas e científicas da Época Moderna.

 

I. A concepção heliocêntrica de Nicolau Copérnico, sustentada na obra Das revoluções das esferas celestes, de 1543, reforçava a doutrina católica contra os postulados protestantes.

II. A Lei da Gravitação Universal, proposta por Isaac Newton no século XVII, reforçava as radicais perspectivas ateístas que haviam pautado as ações dos grupos revolucionários na Inglaterra à época da Revolução Puritana.

III. Às experiências com eletricidade realizadas por Benjamin Franklin no século XVIII, somou-se sua atuação no processo de emancipação política dos Estados Unidos da América.

IV. Os estudos sobre o oxigênio e sobre a conservação da matéria, feitos por Antoine Lavoisier ao final do século XVIII, estavam em consonância com a racionalização do conhecimento, característica da Ilustração.

 

Estão corretas apenas as afirmações

a) I, II e III.    

b) II, III e IV.    

c) I, III e IV.   

d) I e II.    

e) III e IV.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

A afirmativa [I] está incorreta porque a Igreja Católica defendia a teoria geocêntrica de organização do universo, combatendo, assim, as ideias de Copérnico;

 

A afirmativa [II] está incorreta porque a Lei da Gravitação Universal é posterior à Revolução Puritana. Além disso, nem Newton nem os grupos revolucionários ingleses eram ateus.

 

 

 

 

12. (Fuvest 2017) 

Esta planta foi elaborada no contexto da nova política estabelecida pela Coroa portuguesa para suas possessões na América, durante o chamado período pombalino (1750-1777). A partir dela,

 

a) identifique dois elementos que contrastam a organização espacial das comunidades indígenas com a organização espacial proposta pelos poderes coloniais;

b) descreva as principais diretrizes políticas e culturais do projeto pombalino para a população indígena da América.

 

 

Resposta:

 

a) A noção iluminista de funcionalidade e hierarquia, caracterizada pela centralização das casas do Diretor e do padre.

b) Fim da escravidão, inserção nos direitos coloniais, permissão para casamentos mistos e criação do Diretório dos índios.

 

 

 

 

13. (Fuvest 2017)  A construção da modernidade econômica no Ocidente teve como elementos determinantes a aquisição de características mentais e sociais totalmente estranhas ao mundo greco-romano: uma árdua e longa reapropriação civil do trabalho e a invenção de uma relação nunca antes experimentada entre trabalho dependente e liberdade pessoal, seja nas cidades que renasciam, seja nos campos depois do feudalismo. E também uma reconquista da dimensão física da natureza – matéria e movimento, em um novo quadro de experiências e conceitos – como condição para uma aliança entre inteligência e produtividade, entre conhecimento científico, saberes artesanais e inovações tecnológicas.

 

Aldo Schiavone, Uma História rompida. Roma Antiga e Ocidente Moderno.

 

 

A partir do texto,

a) caracterize a relação entre trabalho e “liberdade pessoal” na Antiguidade Clássica;

b) compare a natureza do conhecimento científico e das inovações tecnológicas do mundo greco-romano com a do mundo moderno.

 

 

Resposta:

 

a) Marcado pelo trabalho escravo, o mundo antigo proporcionava o “ócio” (liberdade) apenas à elite.

b) No mundo greco-romano, a ciência era especulativa. No mundo moderno, a ciência era investigativa.

 

 

 

 

14. (Fgv 2016)  “O gênero humano é de tal ordem que não pode subsistir, a menos que haja uma grande infinidade de homens úteis que não possuam nada.”

(Dicionário filosófico, verbete Igualdade)

 

 

“O comércio, que enriqueceu os cidadãos na Inglaterra, contribuiu para os tornar livres, e essa liberdade deu por sua vez maior expansão ao comércio; daí se formou o poderio do Estado.”

(Cartas inglesas)

 

 

Sobre os trechos de Voltaire, é correto afirmar que o autor

a) define, com suas ideias, os interesses da burguesia como classe, no século XVIII: o comércio como condição para a acumulação de capital, a riqueza como fator de liberdade e do poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade.   

b) crê, como filósofo iluminista do século XVIII, nas igualdades social e política, pois a filosofia burguesa elabora uma doutrina universalista que confunde a causa da burguesia com a de toda a humanidade.   

c) critica a centralização do poder na medida em que ela breca a liberdade, impedindo o progresso das técnicas e a expansão do comércio que geram riqueza, e, ao mesmo tempo, aceita a propriedade como fundamento da igualdade.   

d) considera que a burguesia não se constitui em uma classe no século XVIII, e ela precisa do poder do Estado centralizado para garantir a sua riqueza e, nessa medida, aproxima-se da nobreza para obter apoio político.   

e) defende, como representante da Ilustração, a liberdade ligada à ausência da propriedade e elabora princípios universais, com direitos e deveres para todos os homens, o que faz a igualdade econômica ser o fundamento da sociedade.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

Somente a proposição [A] está correta. Os fragmentos de Voltaire, grande pensador do Iluminismo francês do século XVIII, associa o comércio com a riqueza, e a riqueza com a liberdade e o poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade. Voltaire em sua obra “Cartas Inglesas” enaltecia o modelo político inglês, uma monarquia esclarecida apoiada nas ideias dos filósofos.

 

 

 

 

15. (Uerj 2016) 

Na pintura de Pompeo Batoni, de 1769, estão representados dois imperadores austríacos do Antigo Regime: José II e seu irmão Leopoldo II. No detalhe, pode-se observar um exemplar em francês do livro O espírito das leis, de Montesquieu, expoente da Ilustração ou Iluminismo. A presença do livro na pintura não é meramente decorativa, mas revela modos e práticas de governo adotados por diversos Estados europeus no século XVIII.

 

Nomeie esse modo de governar. Em seguida, apresente uma ação promovida por monarquias europeias que empreenderam tais práticas.

 

 

Resposta:

 

Despotismo Esclarecido. Ocorreu nos países mais atrasados da Europa, nos quais os reis adotaram algumas ideias Iluministas visando modernizar o Estado com o intuito de preservar o regime absolutista. O despotismo esclarecido evidenciou-se como contraditório uma vez que o Estado absolutista tentou se compatibilizar com o Iluminismo, cujas as ideias eram nitidamente antiabsolutistas. Os déspotas esclarecidos mais importantes foram José II da Áustria, Catarina II da Rússia, Frederico II da Prússia, Jose I de Portugal (com seu poderoso ministro Pombal) e Carlos III da Espanha (com seu ministro Aranda).

 

 

 

 

16. (Unesp 2016)  Todos os homens são criados iguais, dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis, entre os quais figuram a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Para assegurar esses direitos, entre os homens se instituem governos, que derivam seus justos poderes do consentimento dos governados. Sempre que uma forma de governo se dispõe a destruir essas finalidades, cabe ao povo o direito de alterá-la ou aboli-la, e instituir um novo governo, assentando seu fundamento sobre tais princípios e organizando seus poderes de tal forma que a ele pareça ter maior probabilidade de alcançar-lhe a segurança e a felicidade.

 

(Declaração de Independência dos Estados Unidos (1776). In: Harold Syrett (org.).

Documentos históricos dos Estados Unidos, 1988.)

 

 

O documento expõe o vínculo da luta pela independência das treze colônias com os princípios

a) liberais, que defendem a necessidade de impor regras rígidas de protecionismo fiscal.   

b) mercantilistas, que determinam os interesses de expansão do comércio externo.   

c) iluministas, que enfatizam os direitos de cidadania e de rebelião contra governos tirânicos.   

d) luteranos, que obrigam as mulheres e os homens a lutar pela própria salvação.   

e) católicos, que justificam a ação humana apenas em função da vontade e do direito divinos.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

O Iluminismo, movimento contrário ao Absolutismo e que defendia o direito à liberdade e à igualdade dos povos, influenciou uma série de movimentos mundo afora, incluindo a Independência das 13 Colônias.

 

 

 

 

17. (Mackenzie 2015)  A expulsão da Companhia de Jesus de todos os territórios portugueses, em 1759, foi uma das medidas mais polêmicas tomadas por Pombal. Em geral, as justificativas para esse ato são a total incompatibilidade entre o controle das práticas pedagógicas adotadas pelos jesuítas e o projeto educacional iluminista pombalino. Todavia, é importante assinalar que tal expulsão também está relacionada

a) aos embates entre o Despotismo Esclarecido e as convicções dogmáticas da Igreja, que persistiram no governo de Pombal e de D. Maria I.   

b) à imposição do catolicismo como religião oficial da colônia, fruto da subordinação da coroa portuguesa às decisões do papa.   

c) ao controle do comércio de escravos africanos pelos jesuítas na região norte, impedindo lucros para a coroa portuguesa.   

d) à influência da burguesia huguenote na corte de D. José I, exigindo o direito de educar os filhos dos colonos, até então monopólio dos jesuítas.   

e) ao interesse em estabelecer o controle sobre as fronteiras da América portuguesa e sobre os recursos econômicos produzidos nessas regiões.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

Somente a proposição [E] está correta. A questão remete a expulsão dos jesuítas do Brasil e de Portugal durante o Período Pombalino, 1750-1777. Os primeiros padres jesuítas chegaram ao Brasil em 1549 liderados por Manoel da Nóbrega tendo como objetivo a catequese dos nativos. Ao longo do período colonial, os padres geraram inúmeros problemas para a coroa portuguesa, como por exemplo não aceitar a escravidão dos indígenas e, assim, gerar um conflito entre padres e colonos. No final do século XVII e início do século XVIII, ocorreram inúmeros conflitos no Sul devido a criação da Colônia do Sacramento e dos Sete Povos das Missões. Os padres jesuítas ficaram ao lado dos índios durante as “Guerras Guaraníticas”. O déspota esclarecido de Portugal, Marquês de Pombal, expulsou os padres do Brasil e de Portugal em 1759.

 

 

 

 

18. (Fuvest 2015)  Examine a seguinte imagem:

 

a) Identifique e analise dois elementos representados na imagem, relativos ao contexto sociopolítico de Portugal na segunda metade do século XVIII.

b) Aponte e explique uma medida relativa ao Brasil, adotada por Portugal nessa mesma época.

 

 

Resposta:

 

a) Primeiro elemento: figura de Marquês de Pombal, representante do Despotismo Esclarecido em Portugal;

Segundo elemento: ênfase no comércio ultramarino e na colonização além-mar, representados pelos navios.

b) Medida: transferência da capital colonial de Salvador para o Rio de Janeiro, indicando um deslocamento socioeconômico na Colônia, do Nordeste para o Sudeste.

 

 

 

 

19. (Unesp 2015)  O pensamento iluminista, baseado no racionalismo, individualismo e liberdade absoluta do homem, ao criticar todos os fundamentos em que se assentava o Antigo Regime, revelava as suas contradições e as tornava transparentes aos olhos de um número cada vez maior de pessoas.

 

(Modesto Florenzano. As revoluções burguesas, 1982. Adaptado.)

 

 

Entre as críticas ao Antigo Regime, mencionadas no texto, podemos citar a rejeição iluminista do

a) princípio da igualdade jurídica.   

b) livre comércio.   

c) liberalismo econômico.   

d) republicanismo.   

e) absolutismo monárquico.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

O movimento iluminista criticava, basicamente, duas instituições: (1) o Absolutismo Monárquico e (2) a Igreja Católica.

 

 

 

 

20. (Uerj 2014) 

Na pintura O século das luzes, observam-se elementos representativos do movimento intelectual denominado Iluminismo. Em 1784, o filósofo alemão Immanuel Kant definiu esse movimento como um processo de esclarecimento que permitiu ao homem chegar à sua maioridade.

Identifique na imagem dois elementos representativos do pensamento iluminista. Associe, também, um desses elementos a uma característica do Iluminismo.

 

 

Resposta:

 

Dois elementos iluministas na imagem:

1) o homem colocando livros na prateleira, a direita;

2) o homem distribuindo jornais e panfletos, ao centro.

 

O Iluminismo incentivava o homem a buscar o racionalismo, a razão acima de todas as coisas. Por isso, incentivava a produção de livros, jornais e panfletos.

 

 

 

 

21. (Uerj 2014)  A liberdade política é esta tranquilidade de espírito que provém da opinião que cada um tem sobre a sua segurança; e para que se tenha esta liberdade é preciso que o governo seja tal que um cidadão não possa temer outro cidadão. Quando o poder legislativo está reunido ao poder executivo, não existe liberdade. Tampouco existe liberdade se o poder de julgar não for separado do poder legislativo e do executivo.

 

Montesquieu. O espírito das leis, 1748.

 

 

O direito eleitoral ampliado, a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente e a prática do referendo não respondem nem ao caráter, nem à missão que o Estado alemão deve cumprir tanto no presente como no futuro próximo.

 

Jornal Kölnishe Zeitung, 04/08/1919. Adaptado de REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do século XX. Volume 2. Rio de Janeiro: Record, 2002.

 

 

Os trechos apresentam aspectos do pensamento político em duas épocas distintas: o liberalismo proposto por Montesquieu no século XVIII e a crise do liberalismo na crítica de um jornal alemão na recém-estabelecida República de Weimar.

 

Identifique um dos princípios liberais expresso no texto de Montesquieu e a opinião no texto do jornal alemão que contradiz esse princípio. Apresente, também, um fator que explique a crise do liberalismo no período entre as duas grandes guerras.

 

 

Resposta:

 

Um dos princípios liberais: a divisão dos poderes em três, como forma de não concentrar o poder nas mãos de apenas uma pessoa;

Opinião do jornal que contradiz o princípio: "a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente";

Com a crise econômica que abateu o mundo no período entre-guerras, o sistema liberal entrou em colapso, com especial destaque para a Crise de 1929, nos EUA. Em países europeus já debilitados pela Primeira Guerra, como a Alemanha, a crise econômica fortaleceu a formação de regimes de extrema direita, como o Fascismo.

 

 

 

 

22. (Fuvest 2014)  O problema agrário era portanto o fundamental no ano de 1789, e é fácil compreender por que a primeira escola sistematizada de economia do continente, os fisiocratas franceses, tomara como verdade o fato de que a terra, e o aluguel da terra, era a única fonte de renda líquida. E o ponto crucial do problema agrário era a relação entre os que cultivavam a terra e os que a possuíam, os que produziam sua riqueza e os que a acumulavam.

 

Eric Hobsbawm. A era das revoluções. 1789‐1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982, p. 29.

 

 

a) Caracterize o momento social e econômico por que a França passava no período a que se refere o texto.

 

b) Quais são as principais diferenças entre as propostas fisiocratas e as práticas mercantilistas anteriores a elas?

 

 

Resposta:

 

a) A França na segunda metade do século XVIII estava em profunda crise social e econômica. O país vivia o Antigo Regime, Absolutismo e Mercantilismo. Havia o Primeiro Estado, o Clero, o Segundo Estado, Nobreza e o Terceiro Estado constituído pela burguesia, camponeses, homens pobres da cidade, que, juntos, representavam 95% da população francesa. Os dois primeiros Estados não pagavam impostos e a nobreza ainda recebia pensões do Estado. Assim, somente o Terceiro estado pagava impostos mantendo o Estado. O voto era por estamento e cada Estado tinha direito a um voto. A burguesia apoiada em ideias Iluministas defendia o voto por cabeça e, não por estamento, considerando que o Terceiro Estado possuía maioria. Na economia, a França estava mergulhada em uma grave crise econômica e financeira devido aos gastos excessivos da corte, o apoio no processo de independência dos EUA e o tratado comercial entre Inglaterra e França que tanto prejudicou a burguesia francesa.

 

b) A política mercantilista caracterizava-se, entre outros, pelo intervencionismo estatal na economia através do protecionismo e pelo metalismo enquanto os fisiocratas defendiam a liberdade econômica através do laissez faire laissez passer e que a riqueza vem da terra, da agricultura.

 

 

 

 

23. (Fgv 2012)  Leia o fragmento.

 

Na segunda metade do século XVIII, a preocupação com o “bem governar” era um imperativo tanto para a manutenção do monarca, de modo a que não se fortalecessem outras pretensões de legitimidade, quanto para a conservação do próprio regime, da monarquia absolutista, pois tratava-se de evitar que certas ideias correntes, como governos elegíveis e parlamentos poderosos, tomassem corpo. (...)

(...) o despotismo esclarecido varia de país para país, dependendo de cada processo histórico e de sua abertura ao movimento de ideias da ilustração (...)

 

Antonio Mendes Junior et al. Brasil História: texto e consulta, volume 1, Colônia.

 

Sobre o fenômeno histórico em referência, no caso de Portugal, é correto considerar que

a) o atraso econômico português gerava dependência política e militar, colocando em perigo inclusive o império colonial português, e nesse processo ocorreram as reformas pombalinas, que representaram um maior controle português sobre o Brasil.   

b) as autoridades monárquicas portuguesas se anteciparam às ondas revolucionárias do mundo atlântico e criaram metas de aumento da participação das diversas classes sociais nas instâncias de poder, o que gerou o primeiro parlamento na Europa moderna.   

c) coube ao Marquês de Pombal o apontamento de um acordo estratégico com a Inglaterra, concretizado com o Tratado de Methuen, que permitiu a independência econômica de Portugal e regalias para a mais importante colônia lusa, o Brasil.   

d) as ideias iluministas foram abominadas pelas autoridades portuguesas, assim como pelas elites coloniais e metropolitanas, pois representavam um forte retrocesso nas concepções de liberdade de mercado, defendidas pelo mercantilismo.   

e) o contundente crescimento da economia de Angola, por causa do tráfico de escravos e da produção de manufaturados, e da economia açucareira no Brasil, foram decisivos para a opção portuguesa em transferir a sede da Coroa portuguesa para a América.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

O fragmento faz referência ao despotismo esclarecido que, no caso de Portugal, se materializou durante o reinado de D. José I (1750-1777), e tendo como seu secretário de governo, o marquês de Pombal. Esse momento foi tão marcante que é comum denominá-lo de Era Pombalina. Para o citado governo português era necessário conter a dependência econômica frente aos britânicos, reforçar o poder do Estado e reorganizar as relações com o Brasil, a principal colônia lusa. Assim, entre outras medidas, houve um estreitamento nas relações coloniais entre Brasil e Portugal, o que gerou um maior controle da metrópole sobre a América portuguesa. Exemplos dessa nova relação são as Companhias de Comércio e a reorganização da política tributária da região das Minas Gerais.

 

 

 

 

24. (Unesp 2012)  Encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de cada associado com toda a força comum, e pela qual cada um, unindo-se a todos, só obedece contudo a si mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes. Esse, o problema fundamental cuja solução o contrato social oferece.

[...]

Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder sob a direção suprema da vontade geral, e recebemos, enquanto corpo, cada membro como parte indivisível do todo.

 

(Jean-Jacques Rousseau. Do contrato social, 1983.)

 

O texto apresenta características

a) iluministas e defende a liberdade e a igualdade social plenas entre todos os membros de uma sociedade.   

b) socialistas e propõe a prevalência dos interesses coletivos sobre os interesses individuais.   

c) iluministas e defende a liberdade individual e a necessidade de uma convenção entre os membros de uma sociedade.   

d) socialistas e propõe a criação de mecanismos de união e defesa de todos os trabalhadores.   

e) iluministas e defende o estabelecimento de um poder rigidamente concentrado nas mãos do Estado.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

“Do Contrato Social” é a obra mais difundida de Rousseau, célebre pensador iluminista que, apesar de críticas à propriedade como elemento que determina a divisão social, e de defender a participação popular nos organismos de poder, não defende o socialismo, ou seja, de igualdade plena. Os iluministas, incluindo Rousseau, defendiam a igualdade jurídica, ou seja, a ideia de que todo homem é igual perante a lei. Para esse autor, o Estado é expressão da vontade coletiva dos homens e fundamental para a manutenção da organização social.

 

 

 

 

25. (Uerj 2012)  O Iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele próprio é responsável.

O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento sem a condução de outrem. Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere aude!* Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento.

Essa é a divisa do Iluminismo.

IMMANUEL KANT (1784)

 

*Expressão latina que significa “tenha a coragem de saber, de aprender”.

 

In: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS, Bianca. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010.

 

No contexto da expansão capitalista no século XIX, uma das ideias centrais do Iluminismo, de acordo com o texto, está associada diretamente à valorização da:

a) superioridade técnica   

b) soberania econômica   

c) liberdade política   

d) razão científica   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

O iluminismo está associado aos valores burgueses difundidos desde o século XVIII e que, no século seguinte se tornaram predominantes. O racionalismo iluminista caracterizou-se pela confiança na razão, no progresso e na ciência, e pelo incentivo à liberdade de pensamento. O ideal do Iluminismo era levar esses valores a prevalecer e triunfar sobre o mito, a crendice, o "sobrenatural", o misticismo, a fé, o dogma, o fanatismo, a intolerância.

 

 

 

 

26. (Unesp 2010)  No século XVIII, surgiram novas ideias que despertaram o interesse de muitos adeptos que rejeitavam as tradições e almejavam explicações racionais para compreender os fenômenos naturais e sociais. Como ficaram conhecidos os pensadores desse período e de que modo esses pensadores influenciaram monarcas e ministros europeus?

 

 

Resposta:

 

Os pensadores dessa época ficaram conhecidos como Iluministas. O movimento iluminista, também denominado de “Ilustração”, nasceu no final do século XVIII, época da Revolução Gloriosa na Inglaterra e influenciou toda uma grande geração de pensadores, principalmente na França. A força desse movimento que contestava o absolutismo, fez com que diversos monarcas adotassem algumas de suas ideias, num processo de adaptação parcial, com vistas a reduzir as críticas que sofriam. Esses governantes foram denominados “Déspotas Esclarecidos”. Déspotas por preservaram a maior parte das práticas absolutistas e esclarecidos por conhecerem e a adotarem algumas características iluministas.

 

 

 

 

27. (Uerj 2009)  (...) Minuciosas até o exagero são as descrições das operações manuais de Robinson: como ele escava a casa na rocha, cerca-a com uma paliçada, constrói um barco (...) aprende a modelar e a cozer vasos e tijolos. Por esse empenho e prazer em descrever as técnicas de Robinson, Defoe chegou até nós como o poeta da paciente luta do homem com a matéria, da humildade e grandeza do fazer, da alegria de ver nascer as coisas de nossas mãos. (...) A conduta de Defoe é, em Crusoé (...), bastante similar à do homem de negócios respeitador das normas que na hora do culto vai à igreja e bate no peito, e logo se apressa em sair para não perder tempo no trabalho.

ÍTALO CAlVINO. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

 

Daniel Defoe, no romance Robison Crusoé, deixa transparecer a influência que as ideias liberais passaram a exercer sobre o comportamento de parcela da sociedade europeia ainda no século XVIII.

Com base no fragmento citado, identifique um ideal liberal expresso nas ações do personagem Robinson Crusoé. Em seguida, explicite como esse ideal se opunha à organização da sociedade do Antigo Regime.

 

 

Resposta:

 

Um dos ideais e sua respectiva explicação:

- Individualismo: com o individualismo, os liberais criticam a sociedade do Antigo Regime, que colocava a razão do Estado à frente das necessidades dos indivíduos, privilegiando determinados grupos por sua origem ou nascimento em detrimento de suas habilidades ou competências.

- Valorização do trabalho independentemente de sua natureza: a dignificação de todo tipo de trabalho se contrapunha ao caráter estamental da sociedade do Antigo Regime, de acordo com o qual determinadas ocupações eram indignas dos membros dos estamentos privilegiados.

 

 

 

 

28. (Mackenzie 2009)  O liberalismo, como doutrina política atuante no cenário europeu, desde o final do século XVIII, apesar de servir principalmente aos interesses da classe burguesa, contagiou as parcelas populares da sociedade oprimidas pelos nobres e pelos reis absolutistas. A sociedade liberal burguesa, mesmo sendo essencialmente elitista, era mais livre do que a do Antigo Regime, por: 

a) acreditar nos princípios democráticos, criando oportunidades para que todos pudessem enriquecer.    

b) permitir maior liberdade de expressão e pensamento, e restringir a esfera de atuação do poder estatal.    

c) aumentar, ao máximo, o poder do Estado, para que este defendesse as liberdades individuais de cada cidadão.   

d) garantir a igualdade de todos perante a lei e o direito à participação política para todos os indivíduos.    

e) praticar o liberalismo econômico, acreditando na livre iniciativa e na regulamentação do comércio pelo Estado.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

29. (Uel 2008)  "[...] Diderot aprendera que não bastava o conhecimento da ciência para mudar o mundo, mas que era necessário aprofundar o estudo da sociedade e, principalmente, da história. Tinha consciência, por outro lado, que estava trabalhando para o futuro e que as ideias que lançava acabariam frutificando."

            (FONTANA, J. "Introdução ao estudo da História Geral". Bauru, SP: EDUSC, 2000. p. 331.)

 

Com base no texto, é correto afirmar:

a) As contribuições das ciências naturais são suficientes para melhorar o convívio humano e social.   

b) Ideias não passam de projetos que, enquanto não são concretizadas, em nada contribuem para o progresso humano.   

c) Diderot considerava importante o conhecimento das ciências humanas para o aprimoramento da sociedade.   

d) Para o autor, os historiadores recorrem ao passado, enquanto os filósofos questionam a própria existência da sociedade.   

e) A ciência e o progresso material são suficientes para conduzir à felicidade humana.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

30. (Fuvest 2008)  Durante o século XVIII, na Europa, constituíram-se dois polos dinâmicos: um de dimensão cultural, representado pela França, e outro de dimensão econômica, representado pela Inglaterra.

Descreva aspectos referentes ao

a) primeiro polo.

b) segundo polo.

 

 

Resposta:

 

a) A França foi , no século XVIII, o centro de difusão dos ideais liberais contrários ao então vigente Antigo Regime e que inspiraram as chamadas revoluções burguesas. As ideias liberais tinham por fundamento a filosofia iluminista, cujos princípios mais relevantes eram a defesa da razão como único caminho para o conhecimento e a defesa da liberdade e da igualdade de direitos.

 

b) A Inglaterra era, no século XVIII, o principal centro dinâmico do capitalismo. O país foi o berço da Revolução Industrial, importante processo que desencadeou inúmeras transformações econômicas, sociais, políticas e culturais em dimensões mundiais, verificadas a partir do século XIX, promovendo a consolidação do capitalismo.

 

 

 

 

31. (Fgv 2007)  A longa administração pombalina (1750 a 1777) causou controvérsia ao expulsar os jesuítas de Portugal e de todos os seus domínios, em 1759. Tal expulsão, que implicava o confisco dos bens dos religiosos, pode ser atribuída:

a) Ao enorme deficit do Tesouro português, provocado pelas despesas feitas com a reconstrução de Lisboa, destruída pelo terremoto de 1755.   

b) À antipatia que o ministro, seguidor da filosofia iluminista, nutria pelos jesuítas, responsabilizados pelo atraso cultural do país.   

c) À vontade de igualar-se às monarquias francesa e espanhola, que praticavam o despotismo esclarecido.   

d) Ao processo de centralização administrativa que exigia a eliminação da Companhia de Jesus, acusada de agir como um Estado à parte.   

e) A um erro de cálculo do ministro, que superestimou a riqueza imobiliária da Companhia de Jesus.   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

 

 

 

32. (Fgv 2007)                          Cidadãos:

            O homem nasceu para a felicidade e para a liberdade, e em toda parte é escravo e infeliz. A sociedade tem por fim a conservação de seus direitos e a perfeição do seu ser, e por toda parte a sociedade o degrada e oprime. Chegou o tempo de chamá-la a seus verdadeiros destinos; os progressos da razão humana prepararam esta grande Revolução, e a vós especialmente é imposto o dever de acelerá-la. Para cumprir vossa missão, é necessário fazer precisamente o contrário do que existiu antes de vós.

            (Maximilien de Robespierre. Paris, 10 de maio de 1793.)

 

Maximilien de Robespierre foi um dos principais líderes da corrente jacobina da Revolução Francesa. Ao discursar na Convenção acerca dos fundamentos que deveriam orientar a elaboração da primeira Constituição Republicana na história do país, Robespierre aplicou princípios iluministas para defender a construção de uma nova ordem política e social.

a) Aponte uma medida adotada pelos jacobinos no contexto da radicalização do processo revolucionário francês (1792-1794).

b) Explique um princípio iluminista presente no documento.

 

 

Resposta:

 

a) Foram medidas adotadas pelos jacobinos no contexto da radicalização do processo revolucionário: a política do "terror"; a abolição dos escravos nas colônias; a "Lei do Máximo".

 

b) Para importantes pensadores iluministas, "a organização política da sociedade só é legítima quando defende os direitos do homem". Esse princípio iluminista está presente no discurso de Robespierre e deverá ser desenvolvido pelo candidato.

 

 

 

 

33. (Uel 2007)  Leia o texto a seguir:

 

"Desde os tempos de Heródoto e Tucídides, a história tem sido escrita sob variada forma de gêneros: crônica monástica, memória política, tratados de antiquário, e assim por diante. A forma dominante, porém, tem sido a narrativa dos acontecimentos políticos e militares, apresentada como a história dos grandes feitos de grandes - chefes militares, reis. Foi durante o Iluminismo que ocorreu, pela primeira vez, uma contestação a esse tipo de narrativa histórica."

            Fonte: BURKE, P. "A escola dos Annales 1929-1989: A revolução francesa da historiografia". Tradução de Nilo Odália. São Paulo: Unesp, 1991, p.18.

 

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar:

a) A mudança do gênero de narrativa histórica, iniciada com o movimento Iluminista, questionará uma história dos grandes heróis.   

b) A produção historiográfica dos gregos e romanos antigos foi deixada de lado pelos pensadores iluministas, pois a Revolução Francesa queimou, como na Inquisição, os textos heréticos.   

c) Os monges buscaram perpetuar, por meio de suas crônicas monásticas, as realizações consagradas do cotidiano de Heródoto e Tucídides produzindo, assim, um gênero de escrita histórica.   

d) A narrativa histórica foi revolucionada durante o Iluminismo pelos sábios laicos que buscavam, por meio de seus estudos, alcançar o sentido histórico-religioso da humanidade.   

e) A história, entendida como um dos principais campos do conhecimento humano, esteve, durante o período antigo, despreocupada com a preservação da memória política dos reis.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

34. (Uel 2006)  Na última parte do século XVIII, as necessidades de coesão e eficiência estatais, bem como o evidente sucesso internacional do poderio capitalista, levaram a maioria dos monarcas a tentar programas de modernização intelectual, administrativa, social e econômica.

            (Adaptado de: HOBSBAWM, Eric. "A Era das Revoluções". São Paulo: Paz e Terra, 1997. p. 39.)

 

Assinale a alternativa que apresenta corretamente como ficou conhecida a modernização referida pelo autor.

a) Anarquismo, porque os reis perderam a autoridade nos setores administrativo, social e econômico.   

b) Socialismo utópico, porque os reis desejavam transformações impossíveis de serem realizadas.   

c) Despotismo esclarecido, visto que os monarcas se apropriaram de alguns preceitos iluministas.   

d) Socialismo cristão, pois os monarcas desejavam reformas administrativas e econômicas com base nos preceitos religiosos.   

e) Totalitarismo, uma vez que os reis almejavam o poder absoluto nas instâncias intelectual, administrativa, social e econômica.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

35. (Unicamp 2006)  Todos os legisladores do século XVIII concordavam que o Estado britânico existia para preservar a propriedade e, incidentalmente, as vidas e liberdades dos proprietários.

            (Adaptado de E.P. Thompson, "Senhores e Caçadores: a origem da lei negra". Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987, p. 21.)

 

a) A partir da afirmação de E. P. Thompson, caracterize o pensamento político presente no Estado britânico do século XVIII.

b) Identifique duas características dos Estados europeus do pós-segunda guerra mundial que os diferenciava do Estado britânico, descrito por E.P. Thompson.

 

 

Resposta:

 

a) Trata-se do liberalismo, pensamento notadamente burguês, que preconiza o papel do  Estado na defesa da propriedade privada como fundamento da defesa ordem socioeconômica. Esse pensamento político evidenciou-se na Inglaterra do século XVIII através da Monarquia Parlamentarista.

 

b) Na Europa Ocidental  do pós-II Guerra Mundial, alguns países, a começar pela Inglaterra, instituíram o Welfare State (Estado do Bem-estar Social) com a adoção de políticas de caráter assistencialista e intervencionista, fundamentos estranhos ao liberalismo.

Na Europa Oriental, os regimes socialistas aboliram a propriedade privada e reprimiram as liberdades e em nome da socialização dos meios de produção.

 

 

 

 

36. (Unesp 2006)  Leia o texto.

 

"O governo arbitrário de um príncipe justo [...] é sempre mau. Suas virtudes constituem a mais perigosa das seduções: habituam o povo a amar, respeitar e servir ao seu sucessor, qualquer que seja ele. Retira do povo o direito de deliberar, de querer ou de não querer, de se opor à vontade do príncipe até mesmo quando ele deseja fazer o bem. O direito de oposição [...] é sagrado. Uma das maiores infelicidades que pode advir a uma nação seria a sucessão de dois ou três reinados de um todo poderoso justo, doce, [...] mas arbitrário: os povos seriam conduzidos pela felicidade ao esquecimento completo de seus privilégios, a mais perfeita escravidão".

            (D. Diderot. "Refutação de Helvétius", 1774.)

a) Como se denomina a forma de regime monárquico a que se refere Diderot?

b) O texto apresentou uma concepção de cidadania que teve reflexos, quase imediatos, nas revoluções do século XVIII e permaneceu nas experiências democráticas e no horizonte político dos séculos seguintes. Quais aspectos de cidadania são defendidos por Diderot ao afirmar que, sem esses direitos, "os povos seriam conduzidos a mais perfeita escravidão"?

 

 

Resposta:

 

a) Absolutismo Monárquico, modelo de governo característico do Antigo Regime.

 

b) Denis Diderot defende o direito à cidadania, apoiado no direito de oposição à opressão e ao direito à liberdade de escolha.

 

 

 

 

37. (Uel 2006)  Igualdade social, liberdade de pensamento, ação e soberania popular são manifestações do Iluminismo que basicamente se caracterizou como:

a) Um movimento de retorno aos valores místicos e transcendentes, anteriores ao Renascimento.   

b) Uma substituição da religião, da tradição e da ordem absolutista, pelo pensamento racional em prol dos liberalismos político e econômico.   

c) Uma utopia social fundada na ideologia cristã, base das correntes humanistas do Ocidente.   

d) Uma reação contrária à sistematização do saber e à soberania popular.   

e) Um movimento artístico com ênfase na expressão livre da vontade criadora dos artistas.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

38. (Uerj 2005)  Que os tiranos de todos os países, que todos os opressores políticos ou sagrados saibam que existe um lugar no mundo onde se pode escapar aos seus grilhões, onde a humanidade desonrada reergueu a cabeça; (...); onde as leis não fazem mais que garantir a felicidade; onde (...) a consciência deixou de ser escrava (...).

            (RAYNAL (abade). "A Revolução da América". Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1993.)

 

A posição apresentada pelo abade Raynal sintetiza alguns aspectos da ilustração política.

 

a) A partir do texto, indique, com suas próprias palavras, dois princípios do pensamento iluminista.

b) Para o autor do texto, a independência das treze colônias inglesas foi um processo revolucionário, razão pela qual denomina-a de Revolução Americana.

Cite e explique um fator que contribuiu para essa Revolução.

 

 

Resposta:

 

a) Dois dentre os princípios:

- tolerância religiosa

- liberdade de expressão

- condenação à escravidão

- liberdade de pensamento

- crítica ao governo absoluto

 

b) Um dentre os fatores e sua respectiva explicação:

- Imposição de novos impostos por parte da Inglaterra às colônias americanas. Os colonos consideravam que apenas suas assembleias coloniais tinham de consentir a cobrança de qualquer novo imposto.

- Fim da "negligência salutar". A perda de autonomia dos colonos constituiu-se em um empecilho para a continuação do desenvolvimento das elites das colônias.

- As ideias de liberdade oriundas do pensamento da Ilustração. As ideias de liberdade levaram os colonos a questionar a aplicação do pacto colonial.

- Insatisfação dos colonos em relação à Linha da Proclamação Régia. Por meio desta a Coroa Inglesa estabelecia o monopólio sobre as terras obtidas em decorrência do Tratado de Paris.

 

 

 

 

39. (Fuvest 2004)  "A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da natureza e do Estado... O príncipe não pode, portanto, dispor de seu poder e de seus súditos sem o consentimento da nação e independentemente da escolha estabelecida no contrato de submissão..."

Diderot, artigo "Autoridade política", Enciclopédia. 1751

 

Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é correto afirmar que o autor

a) pressupunha, como os demais iluministas, que os direitos de cidadania política eram iguais para todos os grupos sociais e étnicos.   

b) propunha o princípio político que estabelecia leis para legitimar o poder republicano e democrático.   

c) apoiava uma política para o Estado, submetida aos princípios da escolha dos dirigentes da nação, por meio do voto universal.   

d) acreditava, como os demais filósofos do Iluminismo, na revolução armada como único meio para a deposição de monarcas absolutistas.   

e) defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os princípios do liberalismo político que se contrapunham aos regimes absolutistas.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

40. (Mackenzie 2004)  Pela promessa de livrar a humanidade das trevas e trazê-la às luzes por meio do conhecimento, esses filósofos foram chamados iluministas, a sua maneira de pensar foi chamada de Iluminismo, e o movimento, em seu conjunto, foi chamado de Ilustração.

José Jobson de A. Arruda e Nelson Piletti - Toda a História

 

Assinale a alternativa em que todos os autores citados relacionam-se com as ideias apresentadas no fragmento de texto acima.

a) André Versálio, Robert Owen e Josquin des Pres.   

b) Voltaire, Johann Kepler e André Versálio.   

c) Josquin des Prés, Jean dβAlembert e Saint-Simon.   

d) Robert Owen, Jean-Jaques Rousseau e Barão de Montesquieu.   

e) Jean d'Alembert, Denis Diderot e John Locke.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

41. (Fuvest 2003)  Examinando as mudanças que marcaram a passagem do século 17 para o 18, o historiador francês Paul Hazard disse que os novos filósofos tentaram substituir uma civilização baseada na "ideia de dever" por uma civilização baseada na "ideia de direito".

Com base nas afirmações acima, e utilizando seus conhecimentos de História, explique o que o autor quer dizer com

 

a) "ideia de dever"?

b) Civilização baseada na "ideia de direito"?

 

 

Resposta:

 

a) Para o historiador Paul Hazard, o inglês John Locke e os filósofos do século XVIII, iluministas,  consideram como representativo da "ideia de dever" o Estado absolutista do Antigo Regime, no qual todos os súditos deviam obediência a um rei que governava por direito divino.

b) Segundo o mesmo autor, os iluministas propunham uma civilização baseada na "ideia de direito", ou seja, de que existem entre o Estado e os cidadãos relações contratuais, envolvendo direitos naturais e inalienáveis dos cidadãos em relação ao Estado.

 

 

 

 

42. (Fuvest 2003)  Da Independência dos Estados Unidos (1776), da Revolução Francesa (1789) e do processo de independência na América Ibérica (1808-1824), pode-se dizer que todos esses movimentos

a) decidiram implementar a abolição do trabalho escravo e da propriedade privada.   

b) tiveram início devido à pressão popular radical e terminaram sob o peso de execuções em massa.   

c) conseguiram, com o apoio da burguesia ilustrada, viabilizar a revolução industrial.   

d) adotaram ideias democráticas e defenderam a superioridade do homem comum.   

e) sofreram influência das ideias ilustradas, mas variaram no encaminhamento das soluções políticas.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

43. (Fgv 2003)  "O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (...) A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda-se, portanto, em convenções."

            (J.J. Rousseau, Do Contrato Social, in "Os Pensadores". São Paulo, Abril Cultural, 1978, p. 22)

 

A respeito da citação de Rousseau, é CORRETO afirmar:

a) Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social.   

b) Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura.   

c) Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX.   

d) Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão.   

e) Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

44. (Unicamp 2003)  O liberalismo tornou-se ideologia predominante na sociedade ocidental a partir da segunda metade do século XIX.

 

a) Quais direitos naturais que o liberalismo se propõe a garantir?

b) Quais as principais características do liberalismo econômico?

c) Quais correntes de pensamento se opuseram ao liberalismo no século XIX?

 

 

Resposta:

 

a) Direitos à vida, à liberdade e à igualdade perante a lei.

b) Não-intervenção do Estado na economia.

c) Em termos conservadores, o absolutismo; em termos progressistas, as diversas correntes socialistas, com destaque para o socialismo científico ou marxista.

 

 

 

 

45. (Unesp 2002)  Adam Smith, autor de "A Riqueza das Nações" (1776), referindo-se à produção e à aquisição de riquezas, observou:

 

"Não é com o ouro ou a prata, mas com o trabalho que toda a riqueza do mundo foi provida na origem, e seu valor, para aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é precisamente igual à quantidade de trabalho que permite alguém adquirir ou dominar."

 

Os pontos de vista de Adam Smith opõem-se às concepções

a) mercantilistas, que foram aplicadas pelos diversos estados absolutistas europeus.   

b) monetaristas, que acompanharam historicamente as economias globalizadas.   

c) socialistas, que criticaram a submissão dos trabalhadores aos donos do capital.   

d) industrialistas, que consideraram as máquinas o fator de criação de riquezas.   

e) liberais, que minimizaram a importância da mão de obra na produção de bens.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

46. (Uerj 2002)  O liberalismo econômico, que incorporou a máxima "deixai fazer, deixai passar", criada em meados do século XVIII, objetivava romper com as práticas tradicionais do mercantilismo.

 

a) Aponte duas características do liberalismo que o diferenciavam do mercantilismo.

 

b) Explique como o liberalismo econômico contribuiu para o fim do sistema colonial.

 

 

Resposta:

 

a) A condenação da intervenção do Estado na economia e a afirmação do trabalho humano como fonte geradora das riquezas constituem-se em fundamentos do liberalismo.

 

b) O liberalismo econômico, ao condenar as ideias de monopólio e de pacto colonial, características essenciais do sistema colonial, propiciou uma série de reivindicações que resultou no processo de independência das colônias americanas, pondo fim ao sistema colonial.

 

 

 

 

47. (Fgv 2001)  Sobre as descobertas científicas do século XVII, é correto afirmar que:

a) romperam com sistema hermético, de Galileu Galilei, impondo um modelo experimental para verificação dos fenômenos naturais;   

b) recuperaram o modelo aristotélico de universo, rompendo, portanto, com a concepção propagada pela Igreja medieval de corpos celestes estáticos;   

c) romperam com sistema hermético, de Galileu Galilei, impondo um modelo experimental aristotélico para verificação dos fenômenos naturais;   

d) a partir do modelo experimental, romperam com o sistema hermético de Aristóteles sustentado pela Igreja Medieval;   

e) recuperaram o modelo aristotélico de cosmos, rompendo, portanto, com a concepção propagada pela Igreja medieval do universo em movimento.   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

 

 

 

48. (Uel 2001)  "[O indivíduo], orientando sua atividade de tal maneira que sua produção possa ser de maior valor, visa apenas o seu próprio ganho e, neste, como em muitos outros casos, é levado como que por uma mão invisível a promover um objetivo que não fazia parte de suas intenções. (...) Ao perseguir seus próprios interesses, o indivíduo muitas vezes promove o interesse da sociedade muito mais eficazmente do que quando tenciona realmente promovê-lo."

            (SMITH, A. "A riqueza das nações". São Paulo: Abril Cultural, 1983, p.379-80.)

 

Sobre o liberalismo, considere as seguintes afirmativas:

 

I - O liberalismo econômico, cujos princípios, como o livre comércio, a propriedade privada e a lei de mercado, favoreceram o desenvolvimento do capitalismo, teve em Adam Smith um de seus principais fundadores.

II - A sistematização das análises econômicas no livro História da riqueza das nações contribuiu para a definição da economia como ciência.

III - No trecho acima, Adam Smith denunciou os males do individualismo e do egoísmo econômico.

IV - A "mão invisível" citada por Adam Smith é uma metáfora que pode ser substituída pela definição liberal de mercado.

 

Assinale a alternativa correta.

a) Apenas as afirmativas I, II e III são verdadeiras.   

b) Apenas as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.   

c) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.   

d) Apenas as afirmativas I e IV são verdadeiras.   

e) Todas as afirmativas são verdadeiras.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

49. (Mackenzie 2001)  (...) aproximar-se-ão os homens desse estado em que todos terão as luzes necessárias para se conduzir segundo sua própria razão nas tarefas comuns da vida e para manter [a razão] isenta de preconceitos, conhecer bem os seus direitos e os exercerem (...)? A estupidez e a miséria não serão mais do que acidentes e não estado habitual de uma parte da humanidade? (...) deverá a espécie humana melhorar, quer por novas descobertas nas ciências e nas artes e, como necessária, nos meios de bem-estar individual e da prosperidade comum (...)

            Jean de Caritat. Marquês de Condorcet.

 

As ideias expressas no trecho acima e seu autor relacionam-se com:

a) a Revolução Russa.   

b) o Iluminismo.   

c) o Socialismo.   

d) o Renascimento.   

e) a Reforma.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

50. (Fuvest 2001)  "Seria mais correto chamarmos o Iluminismo de ideologia revolucionária... Pois o Iluminismo implicava a abolição da ordem política e social vigente na maior parte da Europa"

            Eric J. Hobsbawm. A Era das Revoluções, 1789-1848.

 

Descreva a ordem política e social que o Iluminismo criticava e pretendia destruir.

 

 

Resposta:

 

O texto de Hobsbawm refere-se ao Antigo Regime, que vigorava em boa parte da Europa na Idade Moderna. Caracterizava-se, no campo político, pela monarquia absoluta, baseada na teoria do direito divino (o poder emana de Deus); no campo social, pela sociedade de privilégios, baseada no nascimento. O movimento iluminista tinha como bandeira a luta pela igualdade e pela liberdade - elementos básicos para se alcançar o progresso humano por meio do desenvolvimento científico.

 

 

 

 

51. (Mackenzie 2001)  A burguesia tinha como projeto político a defesa da propriedade privada e os camponeses defendiam a propriedade coletiva. Ambas as classes combatiam a ordem monárquica absolutista, que lutou pelos interesses da aristocracia que a sustentava. O principal ideólogo do pensamento burguês da época foi John Locke que afirmava: "A preservação da propriedade é o grande e principal objetivo da união dos homens em comunidade, colocados sob governo."

 

Assinale a alternativa que corresponde a essa etapa do processo de consolidação da burguesia.

a) Revolução Francesa   

b) Revolução Inglesa   

c) Revolução Russa   

d) Revolução Americana   

e) Revolução Alemã   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

52. (Fgv 2000)  Entre as mudanças operadas no Brasil pela intervenção do Marquês de Pombal estão a/o:

a) criação da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão, a exploração direta das minas de diamante e o incentivo à ampliação dos colégios jesuíticos;   

b) expulsão da Companhia de Jesus, a extinção das capitanias hereditárias e a redução dos impostos coloniais;   

c) exploração direta das minas de diamante, a extinção da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão e a criação do Estado do Maranhão.   

d) apoio e financiamento da  Companhia de Jesus, a redução de impostos coloniais e a extinção da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão;   

e) incentivo às instalações manufatureiras na Colônia, a expulsão da Companhia de Jesus e a criação da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

53. (Mackenzie 2000)  Os filósofos iluministas do século XVIII tinham o desejo de libertar o espírito humano do peso da barbárie que o obscurecia e de guiá-lo para as luzes da razão. A respeito de suas ideias, é INCORRETO afirmar que:

a) criticavam a influência da Igreja católica sobre a sociedade nos campos da educação e cultura e da política.   

b) queriam a limitação do poder real e o fim do direito divino dos reis.   

c) defendiam a não intervenção do Estado no campo econômico.   

d) incentivavam a formação de companhias reais de navegação e comércio para explorar as potencialidades do comércio colonial.   

e) desejavam o fim da desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

 

 

 

54. (Unicamp 2000)  Leia com atenção o texto a seguir, baseado em DAS TREVAS MEDIEVAIS (...) de Carlo Ginzburg:

Em 1965, a cidade de Nova York mergulhou numa imensa escuridão devido à pane de uma central hidrelétrica, situada nas cataratas do Niágara. A cidade foi lançada bruscamente nas trevas e os jornais, confeccionados manualmente, perceberam a extrema vulnerabilidade da sociedade industrial. Um escritor se inspirou nesse acontecimento e fez um livro de ficção chamado UMA NOVA IDADE MÉDIA DE AMANHÃ.

 

a) Que formas de energia estão envolvidas no processo de geração numa hidrelétrica?

 

b) Qual o sistema de pensamento do século XVIII que fez a associação entre a luz e o progresso científico?

 

c) Segundo esse sistema de pensamento, quais as características da Idade Média?

 

 

Resposta:

 

a) Energia Mecânica transformada em elétrica com a força da água que movimenta as turbinas acionando o gerador.

 

b) O Pensamento iluminista que associou o emprego da razão como único e verdadeiro meio de se alcançar o esclarecimento.

 

c) O iluminismo, tal qual o Renascimento Cultural retomaram os princípios clássicos, considerando a Idade Média um período de atraso cultural.

 

 

 

 

55. (Fgv 1999)  Na segunda metade do século XVIII alguns monarcas europeus adotaram princípios do Iluminismo buscando reafirmar, a partir destes, seus poderes absolutos. Considerando essa afirmação não é correto afirmar que:

a)  Entre esses déspotas esclarecido estava Frederico II, seguidor de Voltaire, que permitiu a liberdade de culto na Prússia;   

b)  Os monarcas mais destacados desta corrente foram Frederico II (Prússia), Catarina II (Rússia) e José II (Áustria);   

c)  Catarina II (Rússia) não apenas manteve os direitos dos proprietários da terra sobre os servos como permitiu aos primeiros o direito de condenação à morte dos segundos;   

d)  Em Portugal, o Marquês de Pombal, ministro de José I, foi o responsável pela perseguição à nobreza e ao clero buscando fortalecer o poder real;   

e)  José II (Áustria) foi o mais descompromissado dos monarcas na aplicação dos princípios iluministas.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

56. (Unesp 1999)  A Declaração de Direitos (Bill of Rights) da Inglaterra de 1689, a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América de 1776 e a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789 da França são documentos que expressam um processo revolucionário abrangente que pode ser caracterizado como

a) declínio da aristocracia feudal, fim do poder monárquico e redemocratização dos Estados.   

b) ascensão política da burguesia, queda do poder absolutista e fortalecimento do liberalismo.   

c) igualdade de direitos para todos, fim das monarquias e difusão das ideias iluministas.   

d) fim dos privilégios da nobreza, organização de repúblicas e difusão do positivismo.   

e) ampliação dos direitos da burguesia, estabelecimento de democracias e declínio do liberalismo.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

57. (Fuvest 1999)  "Um povo pode atingir o bem-estar material sem táticas subversivas se ele for dócil, trabalhador e se esforçar sempre para melhorar"

 

(dos estatutos da "Sociedade contra a Ignorância" de Clermont-Ferrand, França, 1869).

 

Sobre o texto é correto afirmar que exprime um ponto de vista representativo

a) da nobreza, que acreditava ser esse o único caminho possível para o povo melhorar sua condição;   

b) dos trabalhadores, conscientes de que somente com educação e trabalho melhorariam sua condição;   

c) da burguesia, preocupada com a questão social e com as ideias e teorias de inspiração anticapitalista;   

d) do governo francês na III República, preocupado em eliminar a pobreza e a exploração sofrida pelos trabalhadores;   

e) das autoridades municipais, sensibilizadas com a ignorância e a miséria dos trabalhadores.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

58. (Uerj 1999)  "Não se veem, porventura (...) povos pobres em terras vastíssimas, potencialmente férteis, em climas dos mais benéficos? E, inversamente, não se encontra, por vezes, uma população numerosa vivendo na abundância em um território exíguo, até algumas vezes em terras penosamente conquistadas ao oceano, ou em territórios que não são favorecidos por dons naturais? Ora, se essa é a realidade, é por existir uma causa sem a qual os recursos naturais (...) nada são (...). Uma causa geral e comum de riqueza, causa que, atuando de modo desigual e vário entre os diferentes povos, explica as desigualdades de riqueza de cada um deles (...)"

            (SMITH, Adam. Apud HUGON, Paul. "História das Doutrinas Econômicas." São Paulo: Atlas, 1973.)

 

O texto anterior evidencia a preocupação, por parte de pensadores do século XVIII, com a fonte geradora de riqueza. As "escolas" econômicas do período - Fisiocracia e Liberalismo - apresentavam, contudo, discordâncias quanto a essa fonte.

Os elementos geradores de riqueza para a Fisiocracia e para o Liberalismo eram, respectivamente:

a) terra e trabalho   

b) agricultura e capital   

c) indústria e comércio   

d) metal precioso e tecnologia   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

59. (Unicamp 1999)  Cite e caracterize três movimentos democrático-liberais que ocorreram no período entre 1776 e 1848.

 

 

Resposta:

 

A Independência dos Estados Unidos, A Revolução Francesa e a Primavera dos Povos.

Esses movimentos foram influenciados pelos princípios iluministas de liberdade, igualdade de direitos e foram responsáveis pela substituição dos Estados absolutistas por Estados liberais.

 

 

 

 

60. (Uel 1998)  "A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão teria grande repercussão no mundo inteiro. 'Este documento é um manifesto contra a sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um manifesto a favor de uma sociedade democrática e igualitária. Os homens nascem e vivem livres e iguais perante a lei, dizia seu primeiro artigo; mas também prevê a existência de distinções sociais, ainda que somente no terreno da utilidade comum'..."

Assinale a alternativa que identifica um dos artigos da Declaração que prevê a distinção a que o texto se refere.

a) "A propriedade privada é um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável."   

b) "Os cidadãos de conformidade com suas posses devem contribuir com as despesas da administração pública."   

c) "A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de força pública que deve ser instituída em benefício de todos..."   

d) "A lei só tem direito de proibir as ações que sejam prejudiciais à sociedade."   

e) "Ninguém pode ser molestado por suas opiniões, mesmo religiosas, desde que sua manifestação não perturbe a ordem pública...".   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

61. (Uerj 1998)  Em 1815, Napoleão Bonaparte, considerado o herdeiro da Revolução Francesa, foi derrotado, procedendo-se a uma restauração dos "legítimos soberanos" na França e em todos os países europeus onde o Antigo Regime havia sido destronado. Essa Restauração não desfez, porém, a obra liberal já construída. Em tal perspectiva, conservadorismo e liberalismo tornaram-se as palavras-chave para os debates políticos que permearam a primeira metade do século XIX.

a) Cite duas características do liberalismo político.

b) Entre as ações realizadas pelas forças de conservação na primeira metade do século XIX, encontra-se a política de intervenção da Santa Aliança. Conceitue essa política, identificando um de seus objetivos.

 

 

Resposta:

 

a) Garantia das liberdades individuais do cidadão;

     Liberdade de expressão;

     Liberdade de imprensa;

     Liberdade de religião;

     Igualdade de todos perante a lei;

     Divisão do poder entre executivo, legislativo e judiciário;

     A Constituição como um meio de garantir os direitos do cidadão;

     Direito de propriedade.

 

b) A política de intervenção da Santa Aliança foi um dos instrumentos político-ideológicos do absolutismo, adotado pelo Congresso de Viena em 1815. Seus objetivos eram: intervir em qualquer movimento revolucionário liberal e/ou nacionalista que ameaçasse o equilíbrio europeu; fornecer assistência e socorro mútuo aos soberanos ameaçados pelas forças liberais.

 

 

 

 

62. (Mackenzie 1998)  Sobre o lluminismo, é correto afirmar que:

a) defendia a doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os direitos individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes .   

b) propunha a criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de comércio favorável, para assegurar o direito de propriedade.   

c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.   

d) acreditava na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.   

e) consistia na defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais, proporcionada pela influência da Igreja Católica sobre a sociedade, através da educação.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

63. (Fuvest 1998)  "Um comerciante está acostumado a empregar o seu dinheiro principalmente em projetos lucrativos, ao passo que um simples cavalheiro rural costuma empregar o seu em despesas. Um frequentemente vê seu dinheiro afastar-se e voltar às suas mãos com lucro; o outro, quando se separa do dinheiro, raramente espera vê-lo de novo. Esses hábitos diferentes afetam naturalmente os seus temperamentos e disposições em toda espécie de atividade. O comerciante é, em geral, um empreendedor audacioso; o cavalheiro rural, um tímido em seus empreendimentos..."

            (Adam Smith, A RIQUEZA DAS NAÇÕES, Livro III, capítulo 4)

           

Neste pequeno trecho, Adam Smith

a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos.   

b) mostra as vantagens do capitalismo comercial em face da estagnação medieval.   

c) defende a lucratividade do comércio contra os baixos rendimentos do campo.   

d) critica a preocupação dos comerciantes com seus lucros e dos cavalheiros com a ostentação de riquezas.   

e) expõe as causas da estagnação da agricultura no final do século XVIII.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

64. (Fuvest 1997)  Sobre o chamado despotismo esclarecido é correto afirmar que

a) foi um fenômeno comum a todas as monarquias europeias, tendo por característica a utilização dos princípios do Iluminismo.   

b) foram os déspotas esclarecidos os responsáveis pela sustentação e difusão das ideias iluministas elaboradas pelos filósofos da época.   

c) foi uma tentativa bem intencionada, embora fracassada, das monarquias europeias reformarem estruturalmente seus Estados.   

d) foram os burgueses europeus que convenceram os reis a adotarem o programa de modernização proposto pelos filósofos iluministas.   

e) foi uma tentativa, mais ou menos bem sucedida, de algumas monarquias reformarem, sem alterá-las, as estruturas vigentes.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

65. (Mackenzie 1997)  O Despotismo Esclarecido, regime de governo adotado em alguns países da Europa no século XVIII, caracterizava-se por:

a) equilibrar o poder da burguesia financeira com a nobreza feudal.   

b) impor o poder parlamentar sobre o poder monárquico.   

c) tentar conciliar os princípios do absolutismo com as ideias iluministas.   

d) difundir monarquias constitucionais em todos os reinos europeus, segundo os princípios liberais.   

e) atribuir ao povo a participação no poder político.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

66. (Unicamp 1997)  No século XVIII, um grupo de economistas franceses conhecidos por fisiocratas defendeu a livre concorrência e a liberdade no funcionamento da economia, cunhando a famosa expressão "laissez faire, laissez passez, le monde va de lui-même" (deixe estar, deixe passar, o mundo caminha por si). Este ideal foi uma das bases para o liberalismo econômico que, diretamente ligado à ascensão da burguesia, marcou o pensamento do século das Luzes. Explique as relações entre os princípios do liberalismo econômico e os objetivos da burguesia ascendente.

 

 

Resposta:

 

A burguesia, interessada em desenvolver o capitalismo, encontra no liberalismo a ideologia que melhor expressa esse interesse.

 

 

 

 

67. (Mackenzie 1996)  Adam Smith, em "A Riqueza das Nações", assentou as bases do liberalismo econômico, cujos princípios são:

a) igualitarismo, criação dos falanstérios, fazendas coletivas agro-industriais e liberdade de comércio.   

b) colônias autogeridas, erradicação do Estado, mais-valia e autogestão industrial.   

c) capitalismo comercial, absolutismo, metalismo e intervenção do Estado na economia.   

d) respeito às leis naturais da economia, liberdade de contrato de trabalho e liberdade de comércio e produção.   

e) socialização dos meios de produção, livre concorrência, fim das desigualdades sociais e nacionalização das fábricas.   

 

 

Resposta:

 

[D]

 

 

 

 

68. (Mackenzie 1996)  Assinale a alternativa em que aparecem as principais ideias de Jean Jacques Rousseau em sua obra O CONTRATO SOCIAL.

a) Cada homem é inimigo do outro, está em guerra com o próximo e por esta razão cria o Estado para sua própria defesa e proteção.   

b) O Estado é uma realidade em si e é necessário conservá-lo, reforçá-lo e eventualmente reformá-lo, reconhecendo uma única finalidade: sua prosperidade e grandeza.   

c) O governante deve dar um bom exemplo para que os súditos o sigam.  Através da educação e de rituais, os homens de capacidade aprenderiam e transmitiriam os valores do passado.   

d) Que as classes dirigentes tremam ante a ideia de uma revolução! Os trabalhadores devem proclamar abertamente que seu objetivo é a derrubada violenta da ordem social tradicional.   

e) A única esperança de garantir os direitos de cada indivíduo é a organização da sociedade civil, cedendo todos os direitos à comunidade, para que seja politicamente justo o que a maioria decidir.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

69. (Mackenzie 1996)  "Cremos como verdades evidentes, por si próprias, que todos os homens nasceram iguais, que receberam do seu Criador alguns direitos inalienáveis; que entre esses direitos estão a vida, a liberdade e a procura da felicidade; que é para assegurar esses direitos que os Governos foram instituídos..."

            (Declaração de Independência dos EUA - 04.07.1776).

 

Esta declaração inspirou-se nos ideais do:

a) Neoliberalismo.   

b) Absolutismo.   

c) Iluminismo.   

d) Positivismo.   

e) Estoicismo.   

 

 

Resposta:

 

[C]

 

 

 

 

70. (Unicamp 1996)  "Todo o poder vem de Deus. Os governantes, pois, agem como ministros de Deus e seus representantes na terra. Consequentemente, o trono real não é o trono de um homem, mas o trono do próprio Deus".

            (Jacques Bossuet, POLÍTICA TIRADA DAS PALAVRAS DA SAGRADA ESCRITURA, 1709)

 

"(...) que seja prefixada à Constituição uma declaração de que todo o poder é originalmente concedido ao povo e, consequentemente, emanou do povo".

            (Emenda Constitucional proposta por Madison em 8 de junho de 1789)

 

a) Explique a concepção de Estado em cada um dos textos.

b) Qual a relação entre indivíduo e Estado em cada um dos textos?

 

 

Resposta:

 

a) O primeiro: absolutismo e o segundo: democracia liberal.

b) Submissão do indivíduo ao Estado e igualdade civil-jurídica.

 

 

 

 

71. (Unesp 1996)  "Com plena segurança achamos que a liberdade de comércio, sem que seja necessária nenhuma atenção especial por parte do Governo, sempre nos garantirá o vinho de que temos necessidade; com a mesma segurança podemos estar certos de que o livre comércio sempre nos assegurará o ouro e prata que tivermos condições de comprar ou empregar, seja para fazer circular as nossas mercadorias, seja para outras finalidades".

                                                                (Adam Smith -A RIQUEZA DAS NAÇÕES).

 

No texto, os argumentos a favor da liberdade de comércio são, também, de críticas ao

a) Laissez-faire.   

b) Socialismo.   

c) Colonialismo.   

d) Corporativismo.   

e) Mercantilismo.   

 

 

Resposta:

 

[E]

 

 

 

 

72. (Fuvest 1995)  "Quando na mesma pessoa, ou no mesmo corpo de magistrados, o poder legislativo se junta ao executivo, desaparece a liberdade... Não há liberdade se o poder judiciário não está separado do legislativo e do executivo... Se o judiciário se unisse com o executivo, o juiz poderia ter a força de um opressor. E tudo estaria perdido se a mesma pessoa ou o mesmo corpo de nobres, de notáveis, ou de populares, exercesse os três poderes: o de fazer as leis, o de ordenar a execução das resoluções públicas e o de julgar os crimes e os conflitos dos cidadãos".

            (Montesquieu, DO ESPÍRITO DAS LEIS, 1748)

           

a) Qual o tema do texto?

b) Explique o contexto histórico em que foi produzido.

 

 

Resposta:

 

a) Divisão de poderes.

b) Iluminismo. Nesse período, durante a crise do Antigo Regime, os pensadores iluministas colocam-se contra o absolutismo e propõem reformas no processo de governo.

 

 

 

 

73. (Unesp 1995)  "Os filósofos adulam os monarcas e os monarcas adulam os filósofos". 

 

Assim se refere o historiador Jean Touchard à forma de Estado europeu que floresceu na segunda metade do século XVIII.  Os "reis filósofos", temendo revoluções sociais, introduziram reformas inspiradas nos ideais iluministas.

Estas observações se aplicam:

a) às Monarquias Constitucionais.   

b) ao Despotismo Esclarecido.   

c) às Monarquias Parlamentares.   

d) ao Regime Social-Democrático.   

e) aos Principados ítalo-germânicos.   

 

 

Resposta:

 

[B]

 

 

 

 

74. (Unicamp 1995)  Para os pensadores do século XVII, precursores do Iluminismo, a busca do conhecimento deveria ser guiada pela razão.

a) Aponte três características do pensamento científico do século XVII.

b) Cite dois precursores do Iluminismo.

 

 

Resposta:

 

a) Racionalismo, experimentalismo e cientificismo.

b) Rousseau e Robespierre.

 

 

 

 

75. (Unicamp 1994)  Em 1770, um advogado chamado Séguier comentava, a propósito de um movimento do século XVIII: "Os filósofos se erigiram como preceptores do gênero humano. Liberdade de pensar, eis seu brado, e esse brado se propagou de uma extremidade à outra do mundo. Com uma das mãos tentaram abalar o trono; com a outra, quiseram derrubar os altares."

 

a) Identifique o movimento ao qual Séguier se refere.

b) Que características desse movimento podem ser retiradas do texto acima?

 

Vocabulário:

erigir = instituir, considerar;

preceptores = mestres, mentores.

 

 

Resposta:

 

a) O texto refere-se ao Iluminismo

b) Liberdade de pensar; abalar o trono; derrubar os altares.

 

 

 

 

76. (Unesp 1994)  "Os fenômenos econômicos (...) processam-se livre e independentemente de qualquer coação exterior, segundo uma ordem imposta pela natureza e regida por leis naturais. Cumpre, pois, conhecer essas leis naturais e deixá-las atuar."

            (Paul Hugon - HISTÓRIA DAS DOUTRINAS ECONÔMICAS).

           

O trecho acima sintetiza o pensamento econômico dos

a) fisiocratas.   

b) mercantilistas.   

c) marxistas.   

d) keynesianos.   

e) marginalistas.   

 

 

Resposta:

 

[A]

 

 

 

 

77. (Unicamp 1993)  O historiador Pierre Deyon diz:

 

"O mercantilismo foi definido e batizado por seus adversários", ou seja, o mercantilismo, enquanto sistema de pensamento e intervenção na vida econômica, foi definido pelos liberais do século XVIII.

 

Cite três características da política mercantilista e explique por que o liberalismo critica o mercantilismo.

 

 

Resposta:

 

Protecionismo, intervencionismo e exclusivismo. Para o liberalismo a expansão de mercado é fundamental, não podendo haver o monopólio exclusivo.

 

 

 

 

78. (Unesp 1993)  Ao final da Época Moderna, a civilização europeia expandia e se transformava. A ação coletiva da salvação começou a ser suplantada pela busca da felicidade individual. Nova concepção acerca do mundo repercutia em vários setores do conhecimento. A partir deste contexto, demonstre que a burguesia já podia encontrar a expressão de suas necessidades e aspirações nas páginas do livro INVESTIGAÇÕES SOBRE A NATUREZA E AS CAUSAS DA RIQUEZA DAS NAÇÕES (1776), escrito pelo escocês Adam Smith.

 

 

Resposta:

 

Nessa obra, Adam Smith defendia a ideia de ordem natural para a relação produtor/consumidor. A fixação dos salários seria natural, assim como a luta de classes.

 

 

 

 

79. (Unicamp 1991)  O princípio da divisão do Estado em três poderes independentes - legislativo, executivo e judiciário - foi proposto pelos defensores das formas constitucionais de governo a partir do século 17, na Inglaterra, até o final do século 18, na França.

Que tipo de sociedade e de organização estatal eles combatiam e qual forma de governo almejavam implantar?

 

 

Resposta:

 

Combatiam o Absolutismo e defendiam a República.

 

 

 

 

80. (Unesp 1991)  Na segunda metade do século XVIII alguns monarcas da Europa empreenderam reformas sem abandonar o antigo sistema político. Como foram denominados esses monarcas? Esclareça o caráter de conciliação das medidas que tomaram.

 

 

Resposta:

 

Déspotas esclarecidos, praticaram reformas inspirados no iluminismo para manter-se no poder.

 

 

 

 

81. (Unicamp 1991)  O pensamento iluminista do século XVIII tem na ENCICLOPÉDIA, dirigida por Diderot e d'Alembert, uma obra de 35 volumes, editada entre 1751 e 1780, que reúne a totalidade dos conhecimentos da época. Por usarem os princípios da razão para questionar os fundamentos da sociedade em que viviam, os enciclopedistas foram considerados defensores de um pensamento revolucionário.

a) Qual a característica principal do pensamento das luzes?

b) O que significa afirmar que esses pensadores usavam em suas críticas sociais os princípios da razão?

c) Contra quais valores da época se dirigiam as críticas dos pensadores iluministas?

 

 

Resposta:

 

a) O racionalismo.

b) Defendiam o fim das injustiças, leis para regularem a convivência humana, liberdade de expressão.

c) Ao Absolutismo e o poder soberano e inquestionável do chefe de Estado.

 

 

 

 

82. (Unesp 1989)  "Amigo e correspondente de Voltaire, gabava-se de ser um 'rei filósofo'.

Aplicou apenas os princípios compatíveis com o interesse do Estado prussiano. Favoreceu a instrução popular, aboliu a tortura, tornou a justiça mais rápida e menos custosa... Tolerante... acolheu os jesuítas, então expulsos dos Estados católicos".

 

Leia com atenção o trecho anterior e:

a) ofereça subsídios sobre o contexto histórico que produziu, na segunda metade do século XVIII, um movimento de reformas;

b) identifique e indique o nome do monarca que cuidou mais da realidade prussiana e menos da aplicação das ideias novas;

c) enumere os abusos e os preconceitos que Voltaire mais combateu.

 

 

Resposta:

 

a) O Absolutismo e o Iluminismo.

b) Amigo de Voltaire, Frederico II.

c) Defendia as liberdades individuais, opounha-se à Igreja e achava que cada país deveria adotar um governo que lhe melhor adaptasse.

 

 

 

 

83. (Fuvest 1988)  Aponte as principais críticas feitas pelo Iluminismo à sociedade do Antigo Regime.

 

 

Resposta:

 

Críticas ao absolutismo do chefe de estado e o poder deste sobre toda a sociedade.

 

 

 

 

84. (Fuvest 1985)  Em alguns países da Europa, na segunda metade do século XVIII, surgiram monarcas que emprestaram feição nova ao velho Absolutismo.

 

a) Como são chamados esses monarcas ?

b) Que novo estilo de governo propuseram ?

c) Cite o nome de dois deles, indicando os respectivos reinos.

 

 

Resposta:

 

a) Déspotas esclarecidos.

b) Reformas de cunho burguesas.

c) José II - Áustria e Catarina, a Grande - Rússia.