Carregando Idioma...

Vestibular de História Faculdades Pequeno Príncipe

Como passar em medicina gratuitamente! Estude pelo dez de história! Resumos, exercícios e aulas! Se precisar de aprofundamento: dezehistoria.com.br

Vestibular de História Faculdades Pequeno Príncipe

 

1. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2020)  Leia o texto que segue.

 

"A natureza de um partido político precisa ser discutida como um prefácio aos problemas das origens partidárias no Brasil. Deve-se recordar que, para os atores políticos pós-independência, não havia histórico de partidos parlamentares – nem mesmo de parlamento. De fato, em algumas das primeiras disputas na Câmara durante a Regência, estava claro que a função básica do partido político, particularmente a ideia de um partido de oposição, era intensamente debatida, e não apenas porque a ameaça de conflito era bastante real."

 

NEEDELL, Jeffrey D. "Formação dos partidos políticos no Brasil da Regência à Conciliação, 1831-1857". Almanack Braziliense. São Paulo, nº 10, p. 5-22, nov. 2009, p. 8. Disponível em: <http://www.periodicos.usp.br/alb/article/view/11719/13492>. Acesso em: 07/08/19.

 

 

Com base no fragmento de texto, considere as afirmativas a seguir.

 

I. O primeiro partido duradouro foi o Partido Conservador. Formado por dissidentes liberais que romperam com aliados mais radicais, chamados exaltados.

II. Muitos deputados do Partido Conservador, mantendo-se fiéis aos princípios liberais, exprimiam seu desejo de manter equilibrada a relação de poder entre o monarca e o parlamento – representante de seus interesses.

III. Com as regências, foi dissolvida a relação de dependência entre eleitores e figuras proeminentes da sociedade, como grandes proprietários de terras e comerciantes.

IV. A oposição ao partido do imperador vinha por parte dos os exaltados, que tiveram atuação notória a partir do início da década de 1830.

 

Estão CORRETAS somente as afirmativas

a) I, II e IV.   

b) II e III.   

c) I e III.   

d) I, III e IV.   

e) I, II e III.   

 

2. (Fac. Pequeno Pr韓cipe - Medici 2020)  Leia a estrofe a seguir.

 

Pode o pato não nadar

Pode o leão ser mofino

Pode o gato não miar

A galinha criar dente

Gente vai virar serpente

Mas Getúlio vai voltar.

 

LESSA, O. Getúlio na literatura de cordel. In: DORATIOTO, F.; DANTAS FILHO, J. De Getúlio a Getúlio: o Brasil de Dutra a Vargas - 1945 a 1954. São Paulo: Atual, 1991.

 

 

A estrofe acima faz referência à campanha eleitoral de 1950. A respeito desse momento histórico, é CORRETO afirmar que

a) afinado em um discurso nacionalista com relação ao desenvolvimento industrial, o programa político de Getúlio Vargas apresentava uma contradição na campanha presidencial de 1950 ao defender uma concepção menos centralizadora de Estado.   

b) em virtude das condições em que se deu o fim do primeiro governo Vargas em 1945, a campanha presidencial de 1950 não teve condições de utilizar feitos passados em sua composição. Assim, o trabalhismo varguista não constituiu um elemento essencial na elaboração da campanha que levou Vargas novamente à presidência da República.   

c) apesar da oposição da imprensa, as bases do getulismo estavam quase intactas em 1950. A única perda de apoio massiva que ocorreu fora a dos militares, que, descontentes com a política de controle estatal do petróleo, abandonaram as bases do governo Vargas logo depois da Revolução de 1930.   

d) em contraponto ao governo Dutra, que terminava em 1950 com uma política de incentivo à importação de bens de consumo, Getúlio Vargas prometia a seus eleitores a valorização da indústria nacional, porém sem o controle estatal sobre as importações.   

e) a fim de garantir a vitória eleitoral em 1950, Vargas realizou uma série de promessas de campanha a diferentes setores da sociedade. Do cumprimento dessas promessas dependia a governabilidade, o que acabava comprometendo toda a eficiência administrativa do novo governo varguista.    

 

3. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2020)  Leia o excerto a seguir.

 

"Sacrificar animais, sem orações, não funciona, aparentemente, nem produz a correta relação ritual com os deuses. As fórmulas variam; uma para conseguir um bom agouro, uma segunda para evitar o mau agouro e uma terceira para cultura as divindades. Os magistrados superiores rezam segundo fórmulas estabelecidas, tomando muito cuidado para não omitir ou trocar palavras; uma pessoa deve ler a prece de um livro e o magistrado deve repetir, fielmente, palavra por palavra; uma outra pessoa confere, cuidadosamente, se o que ele fala bate com o texto. Um terceiro preocupa-se em manter um silêncio sagrado."

 

PLÍNIO. História Natural, livro XXVII, versículo 10-12. Apud FUNARI, Pedro P. A. Roma. Vida pública e vida privada. 7ª ed. São Paulo: Atual, 1993, p.17-18.

 

 

Com base no fragmento de texto, considere as afirmativas a seguir.

 

I. Os magistrados, indicados no texto, praticavam a religião oficial e correspondem aos sacerdotes, comandantes e figuras públicas masculinas.

II. Paralelamente a essas tradições calcadas na repetição da ritualística por sujeitos específicos, havia os cultos e crenças populares.

III. Em uma sociedade onde os vulneráveis eram muitos (mulheres, idosos, doentes, escravizados e pobres), a religião e a religiosidade se apresentavam como uma via de proteção contra a violência.

IV. Com um maior desenvolvimento da experiência religiosa romana, paulatinamente, abandonou-se a crença no destino como grande maestro da vida, para o qual se poderia rogar contra pragas e males ou obter benesses.

 

Estão CORRETAS apenas as afirmativas

a) I e III.   

b) I e II.   

c) I, II e IV.   

d) I, II e III.   

e) I, III e IV.   

 

4. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2020)  Leia o seguinte fragmento de texto a respeito da Revolução Industrial.

 

"Sob qualquer aspecto, este foi provavelmente o mais importante acontecimento na história do mundo, pelo menos desde a invenção da agricultura e das cidades. E foi iniciado pela Grã-Bretanha. É evidente que isto não foi acidental."

HOBSBAWM, Eric. A Era das Revoluções: 1789-1848. 9.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996, p.60.

 

 

Assinale a proposição CORRETA quanto ao pioneirismo inglês salientado pelo fragmento de texto.

a) Na Inglaterra, apesar da terra ter se tornado passível de comercialização antes de outros países, a agricultura tardou a abandonar seu aspecto de subsistência.   

b) Inovações na metalurgia e na mineração, cruciais para o pioneirismo da indústria inglesa, foram fruto de novas pesquisas desenvolvidas a partir da segunda metade do século XVIII, pois o país não possuía tradição nessas áreas.   

c) O fato do interior da Inglaterra não ser mais feudal foi fundamental para a circulação interna de manufaturas - fator imprescindível em seu desenvolvimento industrial.   

d) Ainda no início do processo de desenvolvimento industrial, a produção têxtil inglesa ultrapassou, em grau de importância, a agricultura, ocasionando rápida derrocada dos senhores feudais e fortalecimento da Revolução Industrial.   

e) Mesmo com grande avanço técnico-científico, a Revolução Industrial quase não apresentou influência iluminista, uma vez que o Iluminismo se desenvolveu com força na França - inimiga histórica dos ingleses.    

 

5. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2020)  Considere o texto a seguir.

 

"Após a Primeira Guerra Mundial, os Estados Unidos consolidam sua posição como primeira potência econômica, a Alemanha reconstrói sua capacidade industrial, a Inglaterra e a França procuram manter um lugar de destaque no cenário internacional contando com um vasto império como respaldo, e a União Soviética inicia um enorme esforço de industrialização."

 

AYERBE, Luis Fernando. Estados Unidos e América Latina. São Paulo: Editora Unesp, 2002, p. 63.

 

 

O texto trata de um tempo de rápidas transformações na História Ocidental, o chamado Período Entreguerras (1918-1939). Acerca desse momento histórico, é CORRETO afirmar que

a) o Período Entreguerras é, conforme aponta o trecho, um momento de reorganização do cenário internacional, com os países fortalecendo-se internamente e acabando com laços de dependência entre europeus e norte-americanos.   

b) o momento histórico de que trata o texto se refere a um período de grande paz social, sobretudo na Europa em reconstrução, ou seja, ainda superando os efeitos de um conflito mundial que custou a vida de milhares de pessoas.   

c) conforme aponta o texto, o Período Entreguerras foi próspero para as potências coloniais que participaram da Primeira Guerra, pois esses países conseguiram se reconstruir sem colocar em xeque governos liberais.   

d) para as grandes potências coloniais europeias e para os Estados Unidos, o início do Período Entreguerras foi carac-terizado por uma grande euforia econômica, derivada da alta no consumo de bens industrializados.   

e) apesar da consolidação da hegemonia dos Estados Unidos logo após o término da Primeira Guerra, o Período Entreguerras foi marcado por uma profunda crise do liberalismo.   

 

6. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  A religiosidade foi um dos aspectos que marcou profundamente a colonização da América portuguesa. Com os colonizadores, vieram os primeiros padres jesuítas, imbuídos da missão de evangelizar os indígenas, convertendo-os à fé cristã. Além dos jesuítas, outras ordens religiosas, como os dominicanos, beneditinos e franciscanos, vieram para o Brasil nesse período.

 

Sobre a atuação das ordens religiosas e sua influência na sociedade brasileira desse período, é CORRETO afirmar que

a) as diversas ordens religiosas se dedicaram à evangelização dos indígenas, fundaram universidades para a formação profissional dos filhos da elite e criaram seminários destinados à formação de padres e à educação dos filhos de escravos libertos.    

b) como os escravos libertos eram proibidos de participar das irmandades religiosas, eles dependiam da caridade dos membros da comunidade para prestar auxílio aos seus doentes e necessitados.    

c) as festas religiosas e procissões eram momentos privilegiados de convívio social; cada irmandade religiosa tinha sua vestimenta, cores e estandartes. Por isso não era permitido aos escravos se organizarem em irmandade religiosa, sendo essa prática um privilégio da população branca.    

d) a Igreja Católica orientava o cotidiano da sociedade colonial, corrigindo os costumes e impondo a moral religiosa. Por essa razão, sempre havia nas vilas e povoados uma capela em louvor aos santos padroeiros, onde se celebravam missas, batizados, casamentos e demais sacramentos.    

e) devido à influência da religiosidade na realização das festas, a Igreja Católica ocupava lugar de destaque na colônia, isso fez os elementos da cultura africana e indígena associados à religião desaparecerem.    

 

7. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia o trecho abaixo escrito pelo médico legista e psiquiatra Nina Rodrigues.

 

A concepção espiritualista de uma alma da mesma natureza em todos os povos, tendo como consequência uma inteligência da mesma capacidade em todas as raças, apenas variável no grau de cultura e passível, portanto, de atingir, mesmo em um representante das raças inferiores, o elevado grau a que chegaram as raças superiores, é uma concepção irremessivelmente condenada em face dos conhecimentos científicos modernos.

 

RODRIGUES, Raimundo Nina. As Raças Humanas e a Responsabilidade Penal no Brasil. Salvador: Livraria Progresso, 1957. p. 28.

 

 

Analisando o pensamento exposto de Nina Rodrigues, inserido no fim do século XIX, podemos compreender que

a) o dito de Nina Rodrigues se encaixa no pensamento imperialista em que grandes potências europeias tentaram legitimar sua dominação aos continentes africano e asiático, demonstrando como as qualidades e os defeitos dos diferentes povos eram exclusivamente fonte de seu meio social.    

b) a teoria demonstrada no texto foi inspirada nas ideias de Thomas Malthus, economista britânico que desenvolveu a hipótese de que o aumento populacional traria maiores possibilidades genéticas e, por consequência, um aprimoramento evolucionista.    

c) o autor foi influenciado pelo darwinismo social, desenvolvido pelo naturalista britânico Charles Darwin como forma de explicar a seleção natural, que privilegiava os mais fortes e adaptados diante dos demais, reforçando a dominação europeia sobre outros continentes.    

d) fica clara a insatisfação contra o neocolonialismo europeu e contra sua dominação recorrente, visto que as raças eram tidas como de iguais condições quanto à possibilidade de evolução.    

e) diversos intelectuais adotaram a existência de uma raça superior às demais, defendendo inclusive o incentivo à imigração de trabalhadores europeus como forma de branqueamento da população brasileira ao longo do tempo.    

 

8. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia o texto abaixo e assinale a alternativa que indica o conflito militar ao qual o documento faz referência.

 

S. M. o Imperador do Brasil, e os governos da República Oriental do Uruguai, e dos estados de Entre-Rios e de Corrientes, reconhecendo que as declarações oficiais do Governador de Buenos Aires, e o caráter dos preparativos bélicos que está fazendo, os colocam no caso da aliança comum estipulada no art. 15 do convênio de 29 de maio deste ano, contra aquele Governo, cuja existência se tem tornado incompatível com a paz, a segurança e o bem-estar dos Estados

Aliados, acordaram estabelecer, em uma convenção especial, o modo e os meios de satisfazer os deveres dessa aliança, malogrando as intenções e disposições hostis do dito Governador [...].

 

Convênio especial de aliança entre o Império do Brasil, a República Oriental e os Estados de Entre-Rios e Corrientes. In: TITÁRA, L. dos S. Memórias do grande exército libertador do Sul da América na guerra de 1851 e 1852. Rio Grande do Sul: Typographia Berlink, 1852.

a) Guerra da Cisplatina.    

b) Guerra do Paraguai.    

c) Guerra do Prata, também conhecida como Guerra contra Oribe e Rosas.    

d) Guerra do Chaco.    

e) Guerra do Pacífico.    

 

9. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Na interpretação mais conhecida sobre a História do Brasil, a data de 7 de setembro de 1822 representou um marco, pois, nesse dia, D. Pedro proclamou oficialmente a separação da Colônia da metrópole portuguesa.

 

Sobre o processo de Independência do Brasil, assinale a alternativa CORRETA.  

a) As relações entre a Coroa portuguesa e o Brasil melhoraram quando Dom João VI, de Portugal, apoiado pela Corte portuguesa, assinou um decreto concedendo o título de Regente do Brasil a seu filho Dom Pedro. Entretanto, aproveitando-se da autoridade que lhe foi concedida, no dia 7 de setembro de 1822, Dom Pedro rompeu politicamente com Portugal e proclamou a Independência do Brasil.    

b) A Independência brasileira foi um processo liderado, em grande parte, pelos setores sociais que mais se beneficiavam com a ruptura dos laços coloniais: os grandes proprietários de terra e os grandes comerciantes, pois a separação tinha como objetivo preservar a liberdade de comércio e a autonomia administrativa. A maioria da população permaneceu na situação anterior à proclamação da Independência.    

c) Após o processo de Independência, a economia brasileira tornou-se competitiva no mercado internacional, pois devido ao apoio econômico inglês o Brasil começou a desenvolver a atividade industrial, o que era proibido pelo governo metropolitano.    

d) A mudança mais significativa após a Independência do Brasil ocorreu no âmbito econômico-social, pois com o desenvolvimento econômico surgiram novas classes sociais urbanas ligadas ao processo industrial.    

e) A Inglaterra, interessada em manter os benefícios comerciais garantidos pelos tratados de comércio e navegação de 1810, foi a primeira nação a reconhecer a Independência do Brasil.    

 

10. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Fenômeno político que ocorreu entre os anos de 1930, o populismo, como ideologia política, se caracterizou por um discurso de libertação nacional, anti-imperialista e críticas moderadas ao sistema capitalista. Na América Latina, de maneira geral, a sua forma de atuação política foi baseada na relação direta entre o Estado e as massas populares, por intermédio de um líder popular e carismático.

 

Sobre a prática política populista do governo de Getúlio Vargas, assinale a alternativa CORRETA.  

a) O nacionalismo foi amplamente utilizado pelos governos populistas com base em um discurso voltado contra a dominação do capital estrangeiro e a favor da defesa dos interesses nacionais. No Brasil, por exemplo, em 1953, a campanha “O Petróleo é nosso” e a proposta do governo da lei de lucros extraordinários, são exemplos desse caráter nacionalista.    

b) Getúlio Vargas foi o um ponto de coesão e referência sociopolítica, demonstrando notável capacidade de mobilização popular e o seu governo se legitimou nas suas práticas políticas tendo como referência a elite agroexportadora, cujos interesses dizia combater.    

c) Como os governos populistas se utilizavam muito da propaganda para reforçar a imagem do grande líder, eles permitiam que a imprensa, assim como os demais meios de comunicação de massa, atuasse de forma livre.    

d) O discurso nacionalista e desenvolvimentista utilizado por Getúlio Vargas desagradou, tanto a elite burguesa urbana e industrial, quanto às massas operárias. Tanto que o ato de cometer suicídio pode ser considerado como confirmação desse fracasso.    

e) Do ponto de vista econômico-financeiro, o governo provisório de Getúlio Vargas mostrou-se preocupado com a situação da produção industrial brasileira voltada para a exportação, importante para chegar a um equilíbrio na balança comercial. Para isso, em fevereiro de 1931, criou o Conselho Nacional da Indústria e do Emprego com o objetivo de regularizar, proteger e expandir a produção industrial.    

 

11. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  A tabela abaixo sintetiza dados sobre a produção cafeeira no Brasil, no Mundo (em milhares de sacas) e a participação relativa do país em relação à produção mundial.

Sobre a importância do café na economia brasileira da primeira metade do século XX, é INCORRETO afirmar que

a) pela importância que tinha na produção mundial, as safras de café brasileiro impactavam diretamente no preço do produto no mercado internacional, fazendo com que políticas ativas de manutenção de preço fossem empreendidas desde o Império.    

b) a diminuição da participação relativa do Brasil no mercado mundial de café derivou tanto do estabelecimento de novos polos produtores mundiais (como o Sudeste asiático), como da diversificação da pauta de exportações brasileiras, que incorporou novos produtos como minérios e bens industriais.    

c) a importância do café na economia brasileira traduziu-se na hegemonia política das elites dos estados produtores durante a segunda metade do Império e na República Velha.    

d) a política de queima dos estoques de café, realizada principalmente pelo primeiro governo Vargas (1930-1945), visava a diminuição da dependência que o Brasil tinha desse produto, pois a diminuição de sua oferta possibilitou uma maior participação de outros bens e produtos na balança comercial nacional.   

e) a industrialização pioneira da cidade de São Paulo e região, no início do século XX, tem relação com a riqueza acumulada pela produção e pela exportação cafeeira no interior do estado.    

 

12. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Nas primeiras décadas do século XX, a utilização da dupla “higiene-eugenia” como promotora da saúde no Brasil foi recorrente no discurso de médicos e educadores. O novo panorama urbano dos grandes centros brasileiros, marcados nesse início de século pelo rápido crescimento e aumento populacional notável, criou uma demanda por soluções de caráter higiênico que permitissem um novo encaminhamento para as questões urbanas e sociais.

 

JANZ JR., Dones Cláudio. O valor da eugenia: eugenia e higienismo no discurso médico curitibano no início do século XX.

 

 

No início do século XX, no Brasil, a “demanda por soluções de caráter higiênico que permitissem um novo encaminhamento para as questões urbanas e sociais” foi colocada em prática pelo governo federal em ações como

a) a reurbanização da capital nacional com o melhoramento de medidas sanitárias, demolição de cortiços e deslocamento de trabalhadores para vilas operárias.    

b) a demolição de cortiços e de alguns morros na cidade do Rio de Janeiro, além de campanhas de conscientização e de vacinação voluntária.    

c) a reforma da cidade do Rio de Janeiro inspirada em Paris, com o alargamento de ruas e aprimoramento do fornecimento de água e esgoto.    

d) a obrigatoriedade da coleta de lixo pública, a vacinação opcional e a expansão da iluminação pública nas grandes cidades.    

e) o início do ensino de medidas sanitárias nas escolas públicas, a fiscalização das casas e dos cortiços na capital federal e multas para aqueles que não se enquadrassem na nova legislação.    

 

13. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Com o surgimento das primeiras cidades – que remontam 12 mil anos atrás – na convivência social e política, começaram a se destacar algumas pessoas, grupos ou famílias em cargos de liderança, surgindo as primeiras instituições políticas, religiosas e administrativas com a função de coordenar os estoques de alimentos, as práticas e cultos religiosos e a defesa da cidade. Com o passar dos anos, esta organização tornou-se mais complexa e assumiu diferentes formas de atuação e modelos políticos.

 

Sobre as formas políticas desenvolvidas no Ocidente ao longo de sua história, assinale a alternativa CORRETA

a) O significado da palavra democracia atualmente é o mesmo desde a Grécia antiga.    

b) A democracia ateniense, diferente das democracias modernas, era excludente, pois, metecos, escravos, mulheres e crianças não eram considerados cidadãos.    

c) A República romana se formou com a ascensão de Júlio Cesar ao cargo de imperador.    

d) A construção da modernidade envolveu mudanças na maneira de pensar as relações de poder e a política. As teorias de Bodin e Hobbes defendiam um governo democrático e participativo.    

e) Entre os séculos XVII e XVIII, alguns soberanos europeus, por ideologia e pelas crescentes pressões da população, adotaram como prática de governo, uma postura liberal e democrática.    

 

14. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia abaixo o trecho escrito por Tácito acerca do Império Romano.

 

Aos que pereciam, acrescentaram-se zombarias. Alguns, cobertos por peles de animais, foram estraçalhados por cães e pereceram; ou eram pregados a cruzes, e por vezes queimados, para servir de iluminação noturna quando a luz do dia havia expirado. Nero ofereceu seus jardins para o espetáculo e ofereceu jogos de circo, misturando-se entre o povo em trajes de condutor de carro, ou conduzindo o carro. Por isso, embora a condenação fosse contra culpados e merecedores dos piores castigos, entre o povo surgiu pena para com eles, como se não estivessem morrendo por utilidade pública, mas devido à crueldade de um só indivíduo.

 

BONI, Luis Alberto de. O estatuto jurídico das perseguições dos cristãos no Império Romano. In: Trans/Form/Ação. Vol.37, Marília, 2014.

 

 

Esse texto expõe atitudes polêmicas de Nero que teriam sido direcionadas contra

a) escravos, mortos em lutas de gladiadores e outros espetáculos públicos dentro de sua nova política de pão e circo, como forma de alienar a população de seus problemas cotidianos.    

b) povos bárbaros, que continuavam a adorar seus deuses familiares e não aceitavam o culto ao imperador e aos deuses do panteão romano.    

c) estrangeiros, vistos como uma ameaça pelos romanos graças às constantes invasões e saques que proporcionavam contra o império.    

d) rebeldes, cidadãos romanos que foram condenados por delitos contra os órgãos estatais e punidos exclusivamente com a violência pública como forma de expirar seus crimes.    

e) cristãos, perseguidos por não aceitarem a divindade do imperador e por recusarem o uso da escravidão, tão importante dentro do sistema econômico romano.    

 

15. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia o excerto a seguir.

 

[…] Os povos ainda pagãos que se tornarão cristãos ao longo da Idade Média serão convertidos a oeste por Roma e a leste por Constantinopla.

Dessa forma, estabelece-se na Europa uma ruptura, essencialmente religiosa, mas correspondente sem dúvida às diferenças mais gerais e mais profundas entre os europeus do Oeste e os europeus do Leste. Outras diferenças virão, ao longo da história, agravar essa ruptura, mas, dos dois lados, somos cristãos.

 

LE GOFF, Jacques. Uma breve história da Europa. Petrópolis: Vozes, 2010.

 

 

Uma das instituições mais poderosas do planeta, a Igreja Católica Apostólica Romana passou por conflitos internos que culminaram em rupturas, algumas delas definitivas.

 

Analise as afirmativas abaixo.

 

I. Instituído como religião oficial desde o Império Romano pelo imperador Teodósio, o cristianismo gerou discussões irreconciliáveis e a divisão, durante o mesmo governo, do Império Romano em Ocidental, com sede em Roma, e Oriental, com sede em Constantinopla.

II. O clero do cristianismo bizantino não se submetia ao Papa, e sim ao Imperador. Surgiram também diversas heresias, como a negação da virgindade de Maria. Tal quadro se agravou até a ruptura com Roma e a criação da Igreja Cristã Ortodoxa.

III. Um dos maiores problemas enfrentados pelo cristianismo foi a crise moral de parte do clero, principalmente durante o século XVI; os abusos de poder; a compra de cargos; a venda de indulgências, levando ao surgimento da chamada Reforma Protestante.

IV. A corrupção e a desmoralização de uma parcela do clero católico levaram a um processo chamado de Cisma do Oriente no século XVI, quando, após anos de tensão, a Igreja Católica dividiu-se em Igreja Católica Apostólica Romana e Igreja Cristã Ortodoxa, que negava a autoridade papal, além de condenar a prática da simonia.

 

Marque a alternativa que contém TODAS as afirmativas CORRETAS.

a) II e III.    

b) I e II.    

c) I e III.    

d) II e IV.    

e) III e IV.    

 

16. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Considere o texto a seguir.

 

“Hoje não é fácil imaginar o que uma igreja significava para as pessoas daquele período (século XIII), a igreja era, geralmente o único edifício de pedra em toda a redondeza; constituía a única construção de considerável envergadura muitas léguas em redor, e seu campanário era um ponto de referência para todos os que vinham de longe. Aos domingos e durante o culto, todos os habitantes da cidade ali podiam encontrar-se, e o contraste entre o edifício e as casas primitivas e humildes em que as pessoas passavam a vida devia ser esmagador. Não admira que toda a comunidade estivesse interessada na construção dessas igrejas e se orgulhasse da sua decoração. Mesmo do ponto de vista econômico, a construção de um mosteiro, que levava anos, devia transformar uma cidade inteira.”

 

Fonte: GOMBRICH, Ernest Hans Josef. A história da arte. Rio de Janeiro: LTC, 2000, p. 170.

 

 

A Igreja Católica exerceu uma influência marcante sobre a população medieval, ultrapassando em muito sua função religiosa e espiritual. Sobre a influência da Igreja Católica nesse período, assinale a alternativa CORRETA

a) A partir do século XI, a Igreja começou a se sobrepor aos senhores feudais. Entre as principais medidas para isso, está a Paz de Deus – um movimento criado pela Igreja Católica para unir forças contra os senhores que se oponham a sua autoridade.    

b) O poder e influência da Igreja Católica aumentaram a partir do século XII quando começaram a surgir as primeiras universidades europeias com o objetivo de ensinar teologia e latim para que a população pobre pudesse se instruir melhor sobre os ensinamentos cristãos.    

c) A arquitetura medieval refletiu tanto a insegurança (castelos), quanto a religiosidade (catedrais). Destacou-se, nesse período, a construção de mosteiros e catedrais. O estilo predominante foi o arabesco de inspiração ibérica.    

d) As catedrais na Idade Média, por serem a casa de Deus que representava a Jerusalém Celeste, eram lugares dedicados exclusivamente à oração e adoração.    

e) A função dos mosteiros medievais não se limitou apenas ao papel religioso e à produção intelectual. Do ponto de vista econômico, contribuíram para melhorar os métodos de produção agrícola e, do ponto de vista cultural, foram responsáveis pela reprodução e conservação do conhecimento em suas bibliotecas.    

 

17. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia o trecho da reportagem abaixo.

 

No ano em que a Alemanha celebra o 27º aniversário de sua reunificação, a construção de um muro de isolamento acústico de quatro metros de altura e cem de comprimento em frente a um local que está sendo transformado em um albergue para refugiados em Munique divide os moradores e a opinião pública. A barreira é mais alta que o Muro de Berlim, que dividiu o país por quase quatro décadas.

A construção da cerca, alvo de debates calorosos na imprensa e nas redes sociais, é resultado de uma disputa judicial entre a Prefeitura de Munique e seis moradores de Neuperlach, um bairro de 55 mil habitantes que fica na região sudeste da cidade.

 

Disponível em: //operamundi.uol.com.br/conteudo/geral/45740/munique+na+alemanha+constroi+muro+maior+do+que+o+de+berlim+para+separar+moradores+de+refugiados.shtml Acesso em: 27.11.2016

 

 

Atualmente, a razão para a construção de um muro como o citado seria evitar a chegada de imigrantes e, de acordo com os moradores, seu barulho, razões diferentes das que teriam levado à edificação de um Muro em Berlim no ano de 1961.

 

Acerca do período que envolve a divisão da Alemanha e a posterior construção do Muro de Berlim assinale a afirmação VERDADEIRA.

a) O setor oeste da capital Berlim, parte da Alemanha capitalista, liderou a construção do Muro dividindo a cidade para evitar a movimentação de moradores entre ambos os lados, além de proibir a circulação de tropas soviéticas que estavam na região liderando parte da reconstrução alemã.   

b) A proposta inicial de circundar toda a área capitalista em poucos dias não foi concluída a tempo; por esse motivo, milhares de pessoas conseguiram fugir da área socialista para a capitalista nos primeiros meses em que o muro estava sendo erguido. Aqueles que conseguiram migrar posteriormente tornaram-se apátridas, sem pátria, pois a parte ocidental alemã não aceitou os refugiados como seus cidadãos.    

c) Os dois setores alemães foram comandados pelos Estados Unidos e pela URSS como forma de agilizar a desnazificação e a reconstrução do país. Sendo assim, foi acertada durante a Conferência de Potsdam a separação entre República Democrática Alemã e República Federal da Alemanha.    

d) Antigos aliados durante a Segunda Guerra, Estados Unidos e URSS lideraram os blocos ideológicos conflitantes durante a chamada Guerra Fria. Primeiramente, foi feita uma divisão da Alemanha e de Berlim em quatro zonas, mas, devido a conflitos políticos e econômicos, acabou substituída por uma separação mais radical em República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) e República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental).    

e) Durante a vigência da separação de Berlim pelo Muro, diversas avenidas ficaram entrecortadas, uma estação de metrô ficou fechada, praças foram divididas, até mesmo as janelas dos prédios que ficaram de fronte ao muro foram fechadas com tijolos e argamassa, situação que só foi revertida após a morte do líder soviético, Josef Stalin, com a volta das relações diplomáticas entre ambos os lados.    

 

18. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  A relação de dependência em que uma nação mais forte e rica impõe sobre outra sua supremacia econômica, industrial e tecnológica é denominada imperialismo ou neocolonialismo. Essa nova dominação podia ser feita pela expansão violenta ou de maneira sutil, agindo essencialmente nos setores econômicos das nações subdesenvolvidas ou em desenvolvimento, principalmente pela concessão de créditos financeiros, tecnologia e investimentos.

 

Assinale a alternativa CORRETA sobre a dominação imperialista no continente africano. 

a) A partilha da África, segundo os interesses das potências imperialistas, reorganizou a economia agrícola africana, que era predominantemente voltada para o mercado externo, buscando atender às necessidades dos países europeus, inclusive com a exportação de grande contingente de mão de obra escravizada.    

b) A Revolução Industrial valorizou o continente africano, sobretudo por sua potencialidade pouco explorada de matérias-primas e pelo possível mercado consumidor dos artigos industrializados.    

c) A dominação europeia sobre o continente africano trouxe grandes benefícios à população local devido aos investimentos financeiros feito pelos países europeus no continente.    

d) A maioria dos africanos não se opôs ao domínio europeu, pois, a presença estrangeira significava desenvolvimento.    

e) O imperialismo europeu sobre o continente africano foi marcado pela desagregação das populações locais devido ao grande número de escravizados que foram vendidos para as Américas.    

 

19. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2018)  Leia o texto a seguir.

 

“Não há nada pior do que a guerra. Nós aqui nas ambulâncias não podemos perceber de modo completo como é horrível a guerra. E quando um homem percebe em toda a extensão o horrível da guerra, não pode combatê-la porque já está louco. Mas há gente que jamais percebe esse horror. Gente que tem medo dos oficiais. É com esses que se fazem as guerras.

– (...) Não somos pobres camponeses iletrados. Somos mecânicos. Mas mesmo os camponeses sabem o que é guerra. Toda gente odeia esta guerra.

– Há uma classe que controla o país, uma classe estúpida que não compreende nada e jamais compreenderá. Por isso é que temos guerra.

– E também ganham dinheiro com a guerra.

 

A história do mundo poderia ser escrita como uma sequência de guerras entre clãs, tribos, nações e impérios. Nas últimas décadas do século XIX e início do século XX, o mundo esteve marcado pelas disputas políticas e econômicas que envolveram as principais potências desse período.

 

Sobre os conflitos mundiais do período, assinale a alternativa CORRETA.  

a) Em 1923, Hitler renomeou o partido do qual fazia parte, que passou a ser denominado Partido Nacional-Socialista Operário Alemão. Essa mudança no nome do partido tinha como objetivo aproximar a ideologia partidária alemã da ideologia socialista implantada por Lênin na União das Repúblicas Socialista Soviéticas (URSS).    

b) A decisão de Hitler de invadir a União Soviética, contrariando Pacto Germano-Soviético de Não Agressão assinado com Stalin, em 1939, é considerado pelos historiadores como o estopim que deu início à Segunda Guerra Mundial.    

c) Em fevereiro de 1945, o presidente norte-americano Franklin Roosevelt e o primeiro-ministro inglês Winston Churchill se reuniram com Stalin na Conferência de Yalta, com o objetivo de criar o Tribunal de Nüremberg – para julgar os crimes de guerra cometidos pelos nazistas e a criação da Organização das Nações Unidas (ONU) – uma entidade supranacional cujo objetivo deveria ser o de impedir o surgimento de novas guerras e regimes políticos totalitários.    

d) O período anterior à Primeira Guerra Mundial caracterizou-se por tensões, conflitos e divergências, aumentando as rivalidades entre países europeus. Dos principais focos de tensão, destacam-se as rivalidades imperialistas entre Inglaterra, Alemanha, França, Rússia e Império Austro-húngaro; os nacionalismos e a questão balcânica.    

e) Após a vitória dos aliados na Segunda Guerra, o mundo acompanhou a ascensão de três grandes potências: EUA, URSS e China. Entretanto, a rivalidade e o constante estado de tensão marcaram as relações entre essas potências, inaugurando um período no qual todo o mundo temia a eclosão de uma nova guerra mundial.    

 

20. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2016)  Leia o trecho da entrevista feita por Fernanda da Escóssia, jornalista da BBC Brasil, ao diplomata Alberto Costa e Silva sobre seus estudos sobre a História da África e considere as afirmações a seguir:

 

[...] Era como se o negro surgisse no Brasil, como se fosse carente de história. Nenhum povo é carente de história. E a história da África é uma história extremamente rica e que teve grande importância na história do Brasil, da mesma maneira que a história europeia.

De maneira geral, quando se estuda a história do Brasil, o negro aparece como mão de obra cativa, com certas exceções de grandes figuras, mulatos ou negros que pontuam a nossa história. O negro não aparece como o que ele realmente foi, um criador, um povoador do Brasil, um introdutor de técnicas importantes de produção agrícola e de mineração do ouro. [...]

[...] Os primeiros fornos de mineração de ferro em Minas Gerais eram africanos. Fizemos uma história de escravidão que foi violentíssima, atroz, das mais violentas das Américas, uma grande ignomínia e motivo de remorso. Começamos agora a ter a noção do que devemos ao escravo como criador e civilizador do Brasil.

 

Quando o ouro é descoberto em Minas Gerais, o governador de Minas escreve uma carta pedindo que mandassem negros da Costa da Mina, na África, porque "esses negros têm muita sorte, descobrem ouro com facilidade". Os negros da Costa da Mina não tinham propriamente sorte: eles sabiam, tinham a tradição milenar de exploração de ouro, tanto do ouro de bateia dos rios quanto da escavação de minas e corredores subterrâneos. Boa parte da ourivesaria brasileira tem raízes africanas [...].

 

Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/11/151120entrevistahistoriadorfeab?ocid=socialflow_facebook%3FSThisFB>. Acesso em: 25 nov. 2015.

 

 

I. No trecho apresentado da entrevista é possível destacar a necessidade de um aprofundamento da história africana para uma melhor compreensão da história brasileira.

II. Para Alberto Costa e Silva, de um modo geral, a história brasileira não tem considerado os africanos como introdutores de técnicas de produção agrícola e de exploração de ouro.

III. O diplomata Alberto Costa e Silva não apresenta nenhum exemplo de documento histórico para firmar o ponto de vista que defende na entrevista.

IV. Segundo os estudos de Alberto Costa e Silva, é possível vincular as técnicas de extração de ouro em Minas Gerais no período colonial às técnicas usadas na exploração desse mesmo minério na Costa da Mina africana.

 

São CORRETAS apenas as afirmações:

a) I, II e IV.   

b) I.   

c) II e IV.   

d) II e III.   

e) I, II, III e IV.   

 

21. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2016)  Leia o texto a seguir:

 

“A abertura dos portos às nações amigas, em 1808, permitiu que o Brasil fosse invadido por artigos importados dos mais variados, principalmente de origem inglesa. Os produtos ligados à indumentária e à beleza deram novo fôlego à vaidade dos homens e mulheres de então. O período imperial no Brasil foi marcado por modos e modas que acompanharam as grandes mudanças políticas, econômicas e sociais. Roupas, acessórios, joias e penteados revelam como se comportavam as pessoas, a sutileza de seus costumes e os códigos secretos da vida em sociedade.

O acesso aos itens de luxo, entretanto, não tornou os moradores das terras brasileiras mais elegantes aos olhos dos viajantes estrangeiros.”

 

RASPANTI, Márcia Pinna. Que deselegantes. Disponível em: <http://www.revistadehistoria.com.br/secao/capa/que-deselegantes>.

Acesso em: 4 out. 2015.

 

 

A partir da leitura do texto, é possível afirmar:

 

I. Com a chegada da família real portuguesa ao Brasil, os brasileiros tiveram mais acesso aos produtos ingleses.

II. As mudanças ocorridas nos modos e na moda no contexto do período Imperial brasileiro foram bastante sutis.

III. Roupas, acessórios e joias são itens supérfluos que pouco informam sobre os costumes de uma época.

IV. Os viajantes estrangeiros que passaram pelo Brasil nesse período não registraram informações relevantes sobre a vestimenta dos brasileiros.

 

Está(ão) CORRETA(S):

a) I e II, apenas.   

b) II e III, apenas.   

c) I, apenas.   

d) III e IV, apenas.   

e) I, II e IV, apenas.   

 

22. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2016)  A partir de meados do século XVIII, os ideais iluministas atravessaram o Atlântico, influenciando em grande medida o início dos movimentos de independência dos países americanos. Observe as afirmações a seguir sobre esse tema:

 

I. A independência das trezes colônias britânicas na América teve influência direta de autores iluministas, como o inglês John Locke, que afirmava que o governo deveria garantir os direitos naturais aos homens, como a liberdade, a felicidade e a prosperidade.

II. No Brasil, não chegaram os ideais iluministas; por esse motivo, quando o país tornou-se independente, em 1822, continuou sendo uma Monarquia, já que o ideal republicano não circulava na colônia.

III. Os ideais iluministas de liberdade e de igualdade estiveram presentes nos movimentos de independência da América Espanhola, iniciados entre o final do século XVIII e o começo do século XIX, e que foram liderados pela elite letrada colonial, que se mostrava insatisfeita com a sua diferença em relação às elites metropolitanas.

IV. Um dos principais líderes dos movimentos de independência das Américas foi Simón Bolívar. Por esse motivo, atualmente, governos que questionam a interferência externa em suas economias são denominados de “bolivarianos”.

 

Estão CORRETAS apenas as afirmações:

a) I e III.   

b) I, III e IV.   

c) I e IV.   

d) II, III e IV.   

e) I, II e III.   

 

23. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2016)  A expansão do Império Otomano, do século XIV ao século XVII, teve grandes consequências para a organização social, política e econômica da Europa. Observe o mapa acima e assinale a alternativa CORRETA.

a) Os otomanos eram turcos muçulmanos que tomaram vários territórios cristãos, inclusive, em 1453, a capital do antigo Império Bizantino, Constantinopla. Com esse evento, as nações cristãs passaram a utilizar principalmente as rotas terrestres para terem acesso às Índias.   

b) Com a expansão do Império Otomano, os territórios que envolviam o Mar Mediterrâneo foram completamente dominados pelos cristãos, pois os muçulmanos foram expulsos. Apesar de serem também nações cristãs, Portugal e Espanha disputavam o comércio com os turcos otomanos e por isso tiveram que começar a navegar pelo Atlântico.   

c) O Império Otomano expandiu-se gradativamente por territórios da Europa e da África, do século XIV ao século XVII, sendo que a sua principal intenção era desenvolver a agricultura autossustentável. Dessa forma, sua expansão não interferiu no comércio no Mar Mediterrâneo.   

d) Com a expansão do Império Otomano, o Mar Mediterrâneo foi dominado pelos turcos muçulmanos, dificultando o acesso das nações cristãs às Índias para realização do comércio. Isso fez com que Portugal e Espanha investissem nas navegações pelo Atlântico, o que favoreceu a chegada dos europeus nos territórios americanos.   

e) O principal objetivo dos turcos otomanos era conquistar os territórios africanos. Apesar de terem chegado até Argel, não conseguiram adentrar o continente africano, pois enfrentaram alta resistência dos europeus, que já se encontravam no seu interior.   

 

24. (Fac. Pequeno Príncipe - Medici 2016)  Mafalda é uma personagem que foi criada, em 1962, pelo cartunista argentino Quino. Com essa personagem, o autor das tirinhas frequentemente abordava o contexto político internacional daquele período. A tirinha abaixo refere-se, especialmente:

 

a) Ao período da Guerra Fria, exatamente posterior à Segunda Guerra Mundial, caracterizado pela oposição entre os países militaristas da Europa e a União Soviética, quando as potências capitalistas procuravam conter o avanço do socialismo, além de competirem no desenvolvimento da ciência.   

b) Ao período da Guerra Fria, caracterizado pela oposição entre EUA e União Soviética, quando essas duas potências capitalistas disputavam o comércio internacional, além de competirem no desenvolvimento da ciência.   

c) À Segunda Guerra Mundial, que destruiu o território de grande parte dos países europeus e na qual os EUA e a União Soviética lutaram ao lado dos Aliados, contra as forças do Eixo, liderado pela Alemanha nazista.   

d) Ao período entre guerras, caracterizado pelo desenvolvimento da ciência e pela intensificação do armamentismo.   

e) Ao período da Guerra Fria, caracterizado pela oposição entre EUA e União Soviética, quando as duas potências se envolviam em conflitos armados de regiões exteriores aos seus territórios, além de competirem no desenvolvimento da ciência.   

 

Gabarito: 

 

Resposta da questão 1:
 [A]

 

A questão aponta para o Período Regencial, 1831-1840, quando surgiram os partidos políticos e começou a se formar o Estado nacional. Os dois partidos mais importantes eram o Conservador e o Liberal, tudo “farinha do mesmo saco”, ambos representavam seus interesses e não pensavam em mudanças significativas para o país, não tinham um projeto de nação. Uma diferença básica entre os dois partidos consistia na questão do poder, o partido Liberal defendia o federalismo, isto é, maior autonomia para as províncias enquanto o partido Conservador propugnava a centralização do poder. Os dois partidos também caracterizaram o Segundo Reinado, 1840-1889. Gabarito [A].  

 

Resposta da questão 2:
 [E]

 

Getúlio Vargas governou o Brasil entre 1930-1945 na chamada “Era Vargas”, foi deposto em 1945. Derrotado nas eleições presidenciais de 1930 (Getúlio assumiu mediante um movimento que alguns estudiosos chamam de “Revolução de 1930”), Vargas investiu na campanha presidencial de 1950, com seu estilo nacionalista-populista, fez inúmeras promessas para diversos setores da sociedade. Foi eleito em 1950, no entanto, muitas promessas de campanha precisavam passar pelo legislativo e o executivo precisava construir uma base de governabilidade. Sem tradição democrática, Vargas teve dificuldade para governar, o país viveu uma grave crise política culminando no suicídio de Vargas em 1954. Gabarito [E].  

 

Resposta da questão 3:
 ANULADA

 

Questão anulada no gabarito oficial.

 

A questão não está bem formulada. O excerto não deixa claro o contexto histórico, o comando da questão também não esclarece nada. Plínio, o Velho, foi um filósofo e naturalista romano, viveu no primeiro século da Era Cristã. A obra do autor visava muitos campos do conhecimento humano.  

 

Resposta da questão 4:
 [C]

 

A Revolução Industrial começou na Inglaterra no final do século XVIII, sem dúvida não foi acidental como afirmou o historiador inglês Eric Hobsbawm. O pioneirismo inglês se explica pelos recursos naturais (ferro e carvão), marinha forte, estabilidade política, ética protestante, acúmulo de capital, entre outros. A Revolução Gloriosa de 1689 acabou com o Antigo Regime (absolutismo, mercantilismo, sociedade estamental com privilégios) lançando as bases para o capitalismo liberal-industrial. Gabarito [C].  

 

Resposta da questão 5:
 [E]

 

A Grande Guerra, 1914-1918, provocou inúmeras transformações no mundo, tais como, o fim de velhos impérios, o surgimento de novos países, decadência econômica da Europa, ascensão dos estados Unidos como a maior potência econômica mundial, etc. O liberalismo não conseguiu reerguer economicamente a Europa, daí foi surgindo um Estado mais intervencionista em quase todo o mundo. A crise de 1929 nos EUA apontou mais uma vez para a crise do modelo liberal e para aumentar o papel do Estado na economia, como foi o New Deal, um plano econômico com intervenção estatal criado pelo Partido Democrata para tirar o país da crise. Gabarito [E].  

 

Resposta da questão 6:
 [D]

 

Portugal era uma Monarquia Católica que, na lógica da contrarreforma, instituiu o catolicismo no Brasil Colônia como forma de expandir a religião e moldar os aspectos socioculturais da população a partir dos dogmas católicos. Por isso, a influência da Igreja Católica na Colônia era grande.  

 

Resposta da questão 7:
 [E]

 

Raimundo Nina Rodrigues (1862-1906) foi um grande estudioso brasileiro na segunda metade do século XIX. Herdeiro de um racismo europeu Nina construiu uma narrativa racista, cientificista e nacionalista colocando o negro como um problema social. Seu pensamento contribuiu para estimular a imigração com a chegada dos imigrantes brancos europeus para o Brasil como forma de gerar um “Branqueamento”. Somente a proposição [E] está correta.  

 

Resposta da questão 8:
 [C]

 

O texto faz referência aos conflitos que ocorreram na América do Sul no contexto da formação dos Estados Nacionais na primeira metade do século XIX. Em 1850-1852, o Império Brasileiro venceu Oribe do Uruguai e Rosas da Argentina e em entre 1864-1865, o Brasil venceu Aguirre do Uruguai. Esses conflitos culminaram na Guerra do Paraguai. A alternativa [C] está correta.  

 

Resposta da questão 9:
 [B]

 

A partir do momento em que as Cortes Portuguesas deixaram clara a intenção de recolonizar o Brasil, a elite colonial, parcela da população que mais se beneficiou com as liberdades adquiridas com a presença da Corte Joanina no Brasil, manifestou-se favorável à Independência. As classes mais baixas e os escravos não participaram da Independência e não tiveram suas vidas modificadas por ela.  

 

Resposta da questão 10:
 [A]

 

A principal marca do Segundo Governo Vargas foi a defesa do Nacionalismo Econômico, que pregava a valorização do capital nacional frente ao capital internacional. Nesse sentido, Vargas idealizou a criação da Petrobras e a aprovação da Lei de Remessa de Lucros ao Exterior. Devido à postura do Congresso Nacional, Vargas só conseguiu aprovação para a abertura da Petrobras.  

 

Resposta da questão 11:
 [D]

 

O gráfico mostra a importância do Brasil como um grande produtor e exportador de café para o mundo. Esse produto gerou a modernização da economia do Brasil, sobretudo a região Sudeste, contribuindo para a derrubada da Monarquia. Durante a República Velha, 1889-1930, o Brasil ainda exporta muito café. Depois de 1930, a economia brasileira diversificou reduzindo nossa participação na exportação do café. Somente a alternativa [D] está correta.  

 

Resposta da questão 12:
 [C]

 

Dentro de um contexto Positivista, Higienista e da Belle Epoque, o Brasil no início do século XX realizou um processo de reforma urbana na capital do Brasil, a cidade do Rio de Janeiro. O presidente Rodrigues Alves, o prefeito do Rio de Janeiro Pereira Passos e o médico higienista Oswaldo Cruz lideraram a modernização da capital federal. Inspirado em Paris, o Rio de Janeiro foi ganhando novas formas e paisagens com a derrubada de cortiços e a criação de grandes avenidas. Somente a alternativa [C] está correta.  

 

Resposta da questão 13:
 [B]

 

A democracia escravista ateniense era excludente porque se baseava na cidadania como critério para a participação política na polis. Porém, poucos eram aqueles considerados cidadãos em Atenas: homens, maiores de 21 anos e atenienses natos. Logo, nascidos em outras cidades, filhos de nascidos em outras cidades, mulheres, escravos e crianças não eram cidadãos e não participavam da democracia.  

 

Resposta da questão 14:
 [E]

 

A historiografia tradicional atribuiu a Nero o incêndio em Roma para punir os cristãos. As ideias cristãs abalaram as estruturas do Império Romano uma vez que criticou a escravidão, a desigualdade social, o politeísmo e o culto a imagem do imperador. Somente a alternativa [E] está correta.  

 

Resposta da questão 15:
 [A]

 

Correção a partir das incorretas [I] e [IV]. A divisão do cristianismo aconteceu no ano de 1054 no chamado Cisma do Oriente surgindo à religião Ortodoxa (religião do Império Bizantino), portanto a divisão não ocorreu no reinado de Teodósio. No século XVI, surgiu a Reforma Protestante, outra divisão dentro do cristianismo, caracterizado por novas religiões como o Luteranismo, Calvinismo e o Anglicanismo. Somente a proposição [A] está correta.  

 

Resposta da questão 16:
 [E]

 

Os mosteiros, verdadeiros centros da vida religiosa, foram cenário para os avanços técnicos agrícolas (uma vez que a Igreja era grande produtora agrícola) e para a reprodução literária, através da atuação dos monges copiadores.  

 

Resposta da questão 17:
 [D]

 

A questão aponta para a Guerra Fria, um conflito ideológico entre URSS (comunista) e EUA (capitalista), entre 1945-1989. Os dois países lutaram juntos contra o nazismo alemão durante a Segunda Guerra Mundial, no entanto, após o conflito, tomaram rumos diferentes. Na Conferência de Potsdam, em 1945, a Alemanha foi dividida em quatro zonas e no ano de 1949, surgiram duas Alemanhas, a Ocidental capitalista e a Oriental comunista. No ano de 1961 foi construído o famoso muro de Berlim, destruído no ano de 1989.   

 

Resposta da questão 18:
 [B]

 

No Imperialismo do século XIX, movidos pelas necessidades advindas da Segunda Revolução Industrial, os países europeus dirigiram-se à África em busca de matéria-prima, mão de obra barata e mercado consumidor.  

 

Resposta da questão 19:
 [D]

 

Dentre as motivações que levaram à Primeira Guerra, podemos destacar, em especial, as rivalidades imperialistas causadas pela desigualdade na obtenção de colônias na África e na Ásia (Alemanha e Itália eram os países mais insatisfeitos), a defesa ferrenha da preservação de nacionalismos (como na Alemanha e no Império Austro-Húngaro) e a disputa por regiões estratégicas no continente europeu (como os Bálcãs).  

 

Resposta da questão 20:
 [A]

 

O texto aponta para a importante contribuição do africano na formação e desenvolvimento do Brasil. O excerto enfatiza que o negro é lembrado apenas como mão de obra escrava e não salienta o conhecimento técnico que os africanos possuíam na extração de ouro e na produção agrícola.

A assertiva [III] está incorreta, pois o diplomata Alberto Costa e Silva apresenta exemplos e conhecimento para sustentar sua tese quando afirma “Os negros da Costa da Mina não tinham propriamente sorte: eles sabiam, tinham a tradição milenar de exploração de ouro, tanto do ouro de bateia dos rios quanto da escavação de minas e corredores subterrâneos. Boa parte da ourivesaria brasileira tem raízes africanas [...]”.  

 

Resposta da questão 21:
 [C]

 

A questão remete à vinda da corte portuguesa para o Brasil em 1808 e a Abertura dos Portos às nações amigas, isto é, a Inglaterra. Assim a assertiva [I] está correta e as demais estão incorretas. Inúmeras mudanças ocorreram no Brasil a partir deste contexto e não foram mudanças sutis. Foi criado o Banco do Brasil, Biblioteca, imprensa régia, faculdades de Direito e Medicina entre outras realizações. Roupas, acessórios e joias dão muitas informações sobre os costumes de uma determinada época. Os viajantes estrangeiros que passaram pelo Brasil deixaram informações valiosíssimas sobre a vestimenta, basta lembrar-se da contribuição da Missão Francesa.  

 

Resposta da questão 22:
 [B]

 

A questão aponta para o ideário Iluminista e suas influências no Ocidente. A assertiva [II] está incorreta, uma vez que ocorreu influência das ideias Iluministas no Brasil durante as revoltas emancipacionistas como a Inconfidência Mineira em 1789, a Conjuração Baiana em 1798 e a Revolução Pernambucana em 1817, que defendiam ideias republicanas. Todo o processo de independência da América sofreu ingerência das ideias iluministas.  

 

Resposta da questão 23:
 [D]

 

A questão aponta para a expansão do Império Turco Otomano no final da Idade Média e ao longo da Idade Moderna. Este processo de expansão levou os turcos otomanos que seguiam a religião islâmica a dominar o Mar Mediterrâneo impedindo as nações cristãs de realizarem o comércio com o Oriente. Desta forma, em 1415, Portugal deu início às Grandes Navegações, com a Tomada de Ceuta, com o propósito de buscar outras rotas para chegar às Índias.  

 

Resposta da questão 24:
 [E]

 

A questão faz referência à Guerra Fria, um conflito ideológico entre duas potências, os EUA representando o capitalismo e a URSS, o comunismo. Durante este contexto histórico situado entre os anos de 1945 e 1989, não ocorreram embates diretos entre as duas potências citadas e sim conflitos em diversas áreas nas quais EUA e URSS apoiavam lados opostos, como a Guerra da Coreia e a Guerra do Vietnã.  

 

 

Publicações Relacionadas

Lista de Exercícios Segundo Reinado ENEM

Lista de Exercícios sobre o Brasil Colonial

Lista de Exercícios Era Vargas no ENEM

Resumo de Absolutismo para o ENEM - 1

Lista de Exercícios Ditadura ENEM

Lista de Exercícios Idade Média no ENEM